Tweet TONTON - FITNESS ADVISER: Março 2011

arnold classic 2011

Publicado  sexta-feira, 25 de março de 2011

arnold classic 2011

Publicado  

dicas artigos iron man

Publicado  

Over-40 Training Articles

By: Iron Man Magazine Editors

Avoiding Injuries by Pete Sisco
If you've been around a gym very long and talked to a few of the regulars, you'll soon discover nearly everyone, it seems, is nursing some kind of injury.

Over-40 Bodybuilding by John Hansen
Training Adjustments to Keep You Gaining Through Middle Age.

Muscular Methuselah by Steve Holman, Iron Man Editor in Chief
In-the-trenches Supplementation for Over-40 Bodybuilders.

Over-40 Flexer-Uppers by L. Rea
How to Get Rid of Your Fat, Limp and Almost Lifeless Middle-Aged Body.

Over-40 Muscle and Health Diet by Jerry Brainium
Build Your Body Through Middle Age and Beyond.

Over-40 Nutrition by Jerry Brainium
Jerry Brainum, renowned researcher and over-40 bodybuilder, reveals what supplements he takes and why.

http://www.ironmanmagazine.com/index.cfm?page=article&go2=1419

artigos iron man magazine

Publicado  

Hidden Secrets – the Carbohydrate Question
MARCH 24, 2011 · POSTED IN FAT LOSS, MUSCLE BUILDING · COMMENT
Whether you’re trying to pack on pounds of lean muscle or alter your body composition to burn fat, carbohydrates are an essential component of your eating plan. What? But you thought they were the villain… the earthly equivalent of Lucifer, right? At least that’s what we’ve all been led to believe, right? Well I’m here to tell you that carbs have been wrongly accused.
No matter what how you get your carbohydrates whether its bread, fruit or candy it’s eventually converted into glucose which fuels the muscles and your brain. Glucose is used in three different ways;
It gets used as an immediate source of energy
It gets stored in the muscle for use to power activity in the near future
It gets stored as body fat.
So it’s obvious that you don’t want to store your carbohydrates as body fat. What you do want assuming that you want to achieve a lean muscular look is to consume carbohydrates that are released into the bloodstream at a slow even pace. This will help keep your appetite under control and support high energy levels throughout the day.
How?
Stick to natural, unrefined and fibrous carbohydrate sources and always eat your carbohydrates with a complete meal.
Vegetables of almost any kind are your first choice, fruit is your second choice and starches that are high in fiber comes in as a third choice.
Fibrous Carbohydrates
Vegetables of any kind especially the green, red and yellow ones:
Green beans
Broccoli
Spinach
Lettuce
Onions
Brussel Sprouts
Cucumbers
Beets (Fresh)
Green, red and yellow peppers.
Fresh Fruit (not juiced)
Apples
Berries
Mango
Oranges
Bananas
Nectarines
Plums
Starchy Carbohydrates
Oatmeal
Whole Grain cooked cereals
Brown Rice
Yams
Sweet potatoes
Lentils
Potatoes
Whole Grain Breads
Visit tomorrow for another free fast muscle building tip and be sure to subscribe to my RSS feed.
Tags: carbohydrates, Dave, David, fast muscle building tip, free, lean muscle, Young
Hidden Secrets – Multi-Vitamin, Multi-Mineral
MARCH 23, 2011 · POSTED IN FAT LOSS, MUSCLE BUILDING · COMMENT
Let’s assume you’re taking all the right supplements… you’re eating healthy foods… you’re training hard and getting enough rest but… you’re still not making optimal progress. You may be on the right path but still missing something. The question is what? We’ve covered water and protein so lets look at another of the 7 key nutritional factors sometimes overlooked. A good Multi-vitamin/Multi-mineral supplement is often one of those often forgotten and overlooked ingredients. It may be time to sharpen your edge with a good multi-vitamin, multi–mineral complex.
Here’s why: At any moment in time there are thousands and thousands of chemical reactions occurring in your body. Each of these reactions is fueled by enzymes, which require vitamins and minerals to perform. This is where a high potency multi-vitamin and multi minerals play an important role in overall metabolism, body health and most importantly (at least in muscle building) growth and repair. They play a vital part in muscle building, fat loss energy production, protein synthesis, metabolism, digestion and vasodilatation.
To consistently perform at the top of your game, you’ve also got to feed yourself all the vital nutrients. If you’re missing one… that’s going to be the weak link in the chain and you’ve got to correct it, so your performance doesn’t come crashing down. Tune in tomorrow for another entry of Fast Muscle Building Tips or subscribe to my RSS Feed right now.
Tags: building, digestion, energy, fast, fat loss, metabolism, multi-mineral, multi-vitamin, muscle, production, protein, supplement, synthesis, tips muscle building
Hidden Secrets – Muscle Building Fat Burning Trick
MARCH 17, 2011 · POSTED IN FAT LOSS, MUSCLE BUILDING · COMMENT
I the 1960’s and 70’s two of bodybuilding’s top trainers and nutritionists, Rheo H. Blair and Vince Gironda advocated the use of blended oils for building muscle. They knew back then that these oils assist in natural testosterone production. You already know that testosterone is the Holy Grail for major improvements in building muscle, burning fat, improved libido, better skin tone and maintaining healthy heart function.
Today scientists have taken these facts further naming these oils Essential Fats (EFA’s). That is to say… your body has to have them to survive! Now please pause a moment… and think about that.
The goal of every cell in the human body is to survive and without EFA’s the cells that make up the body cannot survive…moreover they can’t build muscle or strip away body fat. Why? They are struggling to merely stay alive. The body cannot synthesize EFA’s from any other substance we eat. A direct food source is required. That’s how they got the name essential. The essential fats are omega 3 and omega 6. The body converts them into several derivatives.
In a recent interview I did with Dr. Eric Serrano and Scott Mendelson (see the February 2011 issue of Iron Man Magazine for the entire interview), their research indicates that you can restore proper fat cell function by ‘cleansing,’ which occurs when you supply the cells with the right raw materials. That is the proper amino acids along with EFA’s in the right proportion. It seems that giving the fat cells plenty of raw materials, they ‘let go’ of the trash that’s mucking up the fat cell function. As a result the fat cell size shrinks around the body and it builds a better fortress against future fat accumulation. The idea is, if you find yourself going off your eating plan (cheat day, parties etc.) take some extra EFA’s before and after.
Here are a few benefits of taking EFA’s:
• Increase energy, performance, and stamina
• Strengthen the immune system
• Lower most risk factors for cardiovascular disease
• Improve brain function: mood, intelligence , behavior, and vision
• Aid in weight reduction
• Regulate organs and glands
• Speed recovery and healing
• Support healthy child development
• Improve digestion
• Decrease infection
• Keep bones strong
• Protect genetic material
• Ease PMS
• Produces beautiful skin, hair, and nails
Tags: blended oils, building muscle, Dr. Eric Serrano, efa, essential fats, fat burning, Iron Man Magazine, muscle building, natural testosterone production, omega 3, omega 6, Rheo H. Blair, Scott Mendelson, testosterone, trick, Vince Gironda
Gene Mozee No Frills Mass – With a Modern Twist
MARCH 15, 2011 · POSTED IN MUSCLE BUILDING · COMMENT
In the 50’s and 60’s they didn’t have personal trainers. They didn’t have fancy equipment, supplements and steroids were virtually taboo. When they wanted to build muscle mass, they relied on passing information from gym owner to gym owner. They included Bill Pearl, Vince Gironda, John Farbotnik, Joe Gold, the Easton Brothers and a handful of other gym owners. They trained hard, ate and got huge.
Iron Man writer Gene Mozee was one of those guys. He wrote an article in the April 1992 edition of Iron Man Magazine (Rich Gaspari was on the cover) entitled No Frill Mass. He described the routine that helped him gain 30 pounds in 3 months after having gone a year with no progress at all.
I’ve taken the routine and given it a modern twist with great success for myself and for the people I’ve introduced it to.
What if you could add 5 inches to your chest, 2½ inches to your arms and thighs and 1½ inches to your calves and nearly 100 pounds to your bench press or squat? Gene did just that on this program. I’ve talked with him about it on several occasions.
He learned the routine from 1959 Mr. America John Farbotnik. Farbotnik was a remarkable bodybuilder from Philadelphia who had won a few bodybuilding titles on the East Coast before moving to California. After moving to California and taking a physical labor job, John was down to 170 pounds and decided to enter the Mr America 30 days before the contest – even though his bodyweight was down to 170 pounds. In 30 days he gained 27 pounds to compete at 197 and win the title.
Gironda, Pearl, Farbotnik, Mozee and Arthur Jones all preached that most trainees perform – too many exercises, too many sets and reps, too many days per week. They all held to the premise that overtraining depletes the body’s energy level and ability to recover.
When you keep workouts simple, you encourage muscle growth without overworking. If you’ve been adding exercises and trying programs used by the current bodybuilding champions you’re generally going to be overtraining and robbing yourself of progress.
Mozee’s program looked like this
Concentration Curls – 4 x 10, 8,6,15
Squats – 5 x 10,8, 6-8,5,6,15
Bench Press – 5 x 10, 8, 6-8,5,6,15
Dumbbell Rows – 4 x 10,8,6, 15
Presses – 4 x 10,8,6,15
Two-arm Dumbbell Extensions – 4 x 10,8,6,15
Calf Raises – 4 x 15-20
Crunches – 1 x 30-50
Use this program three times a week on alternate days. On the heavier exercises – squats, bench presses and overhead presses, rest about two minutes between sets. Try to complete the workout in less than 90 minutes.
When you can do two more reps on your heavy (6 rep) set, increase the poundage. On the squats and the bench presses try and add one additional rep on the pump set at each workout until you reach 20. Keep pushing your poundages as often as possible, but always use strict form. Stay on this program for 6 to 12 weeks. Never miss a scheduled workout. Consistency is the key to continued improvement.
Okay, now here’s a little modern variation of this routine. We’ve found that training body parts three times a week, even with these limited number of sets is too much for recovery. We also find that bodybuilders often want more variety than the one exercise on every body part for 12 weeks. So we perform each body part twice in eight days and alternate between 2 exercises for each workout.
Here’s how it works… warm-up with one or two sub maximal effort sets of 10-12 reps with a weight far below what you are capable of doing. Then hit your work sets as follows:
Day 1 (Monday) – Chest, Back, Biceps, Triceps, abs
Bench Press 10, 8, 6, 4-6, 15
Lat Pull-down (Lat width day) 10, 8, 6, 4-6, 15
Concentration Curl 10, 8, 6, 4-6, 15
Lying Decline Triceps Extension 10, 8, 6, 4-6, 15
Cable Crunch 2 sets 25 reps
Day 2 off
Day 3 (Wednesday) Quads, Hamstrings, calves, shoulders
Squats 10, 8, 6, 4-6, 15
Stiff Leg Deadlift 10, 8, 6, 4-6, 15
Leg Press Calve Pushes 10, 8, 6, 4-6, 15
Behind the Neck Presses 10, 8, 6, 4-6, 15
Day 4 off
Day 5 (Friday) – Chest, Back, Biceps, Triceps, abs
Incline Dumbbell Press 10, 8, 6, 4-6, 15
Barbell Underhand Grip Bent Over Rows (Lat thickness day) 10, 8, 6, 4-6, 15
Hammer Dumbbell Curls 10, 8, 6, 4-6, 15
Overhead Two Hand Triceps Extension 10, 8, 6, 4-6, 15
Reverse Crunch 2 sets 25 reps
Day 6 off
Day 7 off
Day 8 (Monday) Quads, Hamstrings, calves, shoulders
Leg Press or Heavy Hack squat 10, 8, 6, 4-6, 15
Sumo Deadlift 10, 8, 6, 4-6, 15
Seated calf pushes 10, 8, 6, 4-6, 15
Wide Grip Standing Upright Row 10, 8, 6, 4-6, 15
Day 9 off
Day 10 start cycle again with Day 1 workout.

NABO

Publicado  

BENEFÍCIOS:

Fonte de vitamina C, cálcio e potássio.
Fonte de fibras com poucas calorias.
Pode porteger contra certos tipos de câncer.

INCONVENIENTES

Pode causar flatulência.
Contém substâncias que interferem com a produção de hormônios da tireóide.

O nabo é barato, saudável e fácil de preparar e de cultivar ( mesmo em solos pobres). Uma xícara de nabo cozido contém apenas 30 calorias e fornece 18 mg de vitamina C (quase um terço da necessidade diária), 35 mg de cálcio e 210 mg de potássio. É também uma boa fonte de fibras solúveis que ajudam a controlar os níveis de colesterol no sangue.

As folhas de nabo, que muitos cozinheiros jogam fora, são mais nutritivas do que as raízes. Uma xícara de folhas cozidas fornece 40 mg de vitamina C, aproximadamente 200 mg de cálcio e quase 300 mg de potássio. Além disso, ao contrário das raízes, as folhas são uma excelente fonte de beta-caroteno, um antioxidante que o organismo transforma em vitamina A. A mesma xícara de folhas cozidas contém quase 4.000U.I de vitamina A, que é 80% da RDA (Ingestão Dietética Recomendada) para adultos.

O nabo é um vegetal crucífero (família de vegetais que inclui o repolho, o brócolis e o rabanete) que contém compostos sulfurosos que protegem contra certos tipos de câncer. No entanto, como outros vegetais crucíferos, pode provocar gases e distensão abdominal.

O nabo contém duas substâncias bociogênicas que podem interferir na produção de hormônios pela glândula tireóide. Embora elas não sejam prejudiciais para pessoas saudáveis, podem suscitar o bócio ( tireóide hipertrofiada) em pessoas com distúrbios de tireóide.

A maioria das pessoas serve os nabos frescos ou cozidos, mas eles também podem ser assados, cozidos no vapor ou fritos. Por sua versatilidade e pelo sabor doce e ao mesmo tempo picante, o nabo pode ser usado em saladas, cozidos, sopas e pratos de legumes.

Alguns fitoterapeutas recomendam o nabo, fresco ou na forma de suco, xarope ou emplastro ( aplicado no peito) para tratar bronquites e dores de garganta. No entanto, ainda não há comprovação científica desses benefícios.

superando limites

Publicado  

Todos nós somos muito mais fortes do que pensamos, tanto psicológica quanto fisicamente. Imagine, por hipótese, que ao passear num zoológico seu filho escorregasse no poço dos jacarés. Você acredita que teria forças para salvá-lo?

Até posso escuta-lo dizendo: É claro que sim!! Apesar de ser necessário quatro homens fortes para abrir a boca de um animal como esse, uma mãe em Orlando na Flórida-EUA, conseguiu salvar seu próprio filho numa situação real conforme descrita acima.
A pergunta é: Onde ela encontrou forças para superar até mesmo um limite físico? A resposta: Todos nós somos muito mais fortes do que imaginamos ser.

Em minha palestra chamada “Descobrindo sua Força”, no qual os participantes passam pela experiência de quebrar uma madeira de uma polegada de espessura, após escreverem na madeira todos os medos e crenças que os limitam.

Já presenciei uma senhora idosa com 93 anos, quebrar a madeira, uma criança com 7 anos de idade também o fez; Porém, já tive um aluno, com 30 anos, pesando mais de 100 quilos, que mesmo após 5 tentativas: Não quebrou!

Isso me lembra a história daquele rapaz que foi abastecer o carro em um posto na beira da estrada e percebeu que tinha um cachorro deitado que não parava de chorar. Ele perguntou ao dono do posto:

— Meu Senhor, o que tem aquele cachorro que não para de chorar?
— Ah, ele está chorando assim porque está deitado em cima de um prego.
— Ué, então, porque ele não sai?
— Por que não está doendo tanto assim!

Meu caro amigo, precisamos sair do prego. O que explica algumas pessoas não conseguirem quebrar a madeira é isso. O prego não dói tanto assim!

Quando olho diretamente nos olhos das pessoas, pela convicção, eu sou capaz de dizer se ela vai ou não conseguir quebrar a madeira antes mesmo de bater. O que faz com que ela consiga é a energia, é vontade de vencer, e não simplesmente a força física.

Precisamos estar dispostos a superar nossos limites, a colocar energia na vida, sair do “prego”, ter entusiasmo e voltar a ter brilho nos olhos. Essa é a única forma de realizar nossos sonhos. Termino com uma frase para você refletir:

“Você ficaria absolutamente impressionado se encontrasse do outro lado do espelho a pessoa que você ainda pode se tornar!”. Um grande abraço, desejo que você supere sempre todos os seus limites.

COLABORAÇÃO:
RODRIGO CARDOSO
Palestrante Internacional – Além de treinar empresas por todo Brasil, já ministrou palestras na cidade de Orlando nos EUA e na cidade de Buenos Aires na Argentina

FONTE:http://musclemassablog.site.br.com/

menos é mais!

Publicado  

Estudos recentes comprovam: quem treina forte para extrapolar limites acaba arriscando o corpo e comprometendo a performance. Depois de décadas de exageros, professores e academias começam a rever seus conceitos e descobrem que pegar leve é a receita para medalhas e boa saúde
Alguns profissionais ainda resistem em mudar e ainda acreditam que quanto mais treinamento melhor. Mas não tem jeito: cada vez mais professores de educação física, atletas e treinadores têm se convencido de uma realidade que estudos já comprovaram: treinar mais não é treinar melhor. São comuns histórias de atletas das décadas de 80 e 90 vangloriando-se por ter realizado treinos intermináveis, muitas vezes de um dia inteiro. São pessoas que vêm pagando um preço alto por esses exageros. Cientes disso, academias, clubes e equipes profissionais vêm mudando seus padrões, criando modelos de treinamento baseados na qualidade e deixando de lado as tradicionais sessões extenuantes. Quando o assunto é atividade física, treinar no limite já é coisa do passado. O melhor para a saúde e o rendimento são sessões mais curtas e intervalos maiores, valorizando a recuperação e o tempo de sono.

A maioria da comunidade esportiva acredita, contudo, que atletas excepcionais treinam por tempos excepcionais e apenas por isso apresentam resultados excepcionais. Mas do ponto de vista científico essa afirmação se sustenta? E para quem busca apenas qualidade de vida e longevidade treinar por mais tempo significa viver por mais tempo?
São perguntas com respostas complexas, mas já contempladas pelas mais recentes descobertas das ciências da saúde. Primeiro é importante entender de uma vez por todas: atletas de alto rendimento são indivíduos diferentes não porque treinam mais, mas porque têm condições e características diferentes que lhes permitem alcançar resultados muito acima da média. Grande parte desses resultados pode ser explicada pela universalização do esporte. Mais atletas, investimentos e competições: a seleção natural é infalível. No mundo competitivo do esporte só triunfam os geneticamente preparados para ganhar.
Você, mortal
Mas se você é um simples mortal não se empolgue com a ideia de virar um superatleta. Você não vai atingir resultados expressivos treinando por muitas horas. Correr maratonas, fazer longas provas de triathlon e até mesmo sobreviver às provas de ultraendurance não o transformam em um atleta de alto rendimento. Lembre-se: atletas profissionais podem correr uma prova longa com velocidades médias superiores a 20 km/h. Faça um teste: tente correr nessa velocidade por mais de 1 minuto. Isso pode lhe dar uma noção do imenso abismo que existe entre a aptidão e a vontade.
Ao tentar se tornar um atleta a qualquer custo, tudo o que você consegue é acumular lesões, dores e trocar seus momentos de lazer por sessões de fisioterapia. Como se não bastasse, treinamentos extenuantes a longo prazo podem gerar problemas cardíacos irreversíveis, comprometendo definitivamente a sua qualidade de vida nos seus anos de ouro. Não duvide: também na atividade física o melhor caminho é o do meio. Os quatro exemplos a seguir são apenas algumas provas disso.
*Irineu Loturco Filho é bacharel em esporte pela USP e doutorando em metodologia do treinamento para o alto rendimento esportivo pela Universidade Pablo de Olavide, em Sevilha. É diretor da S2 Esportes e preparador físico dos empresários Abílio e João Paulo Diniz
Michel Bögli
Anderson Santiago

41 anos, ex-triatleta e ciclista de ultra distância
Como era o treino antes “Joguei polo aquático dos 13 aos 18 anos. Dos 18 aos 27 fui triatleta profissional, depois migrei para as corridas de aventura. Quando comecei no triathlon, em 1988, havia pouca informação, a gente treinava um absurdo, até 24 treinos semanais. Conheci uns caras que chegavam a passar o dia inteiro pedalando na USP. Na nossa cabeça, quanto mais treinássemos, melhor. Exagerávamos, íamos até o limite.”
Consequências “Há três anos comecei a me sentir muito cansado nos treinos, com dores no corpo, e descobri uma arritmia cardíaca, problema que surgiu muito provavelmente dos excessos no esporte. Um médico me disse que eu teria que fazer uma operação e ficar 50 dias de molho. Aí a casa caiu. Era véspera de uma prova de ultra maratona de Mountain Bike na África do Sul. Fiquei com medo de não poder mais praticar esporte e, claro, de morrer.”
Como é hoje “Aos 41, já não posso correr devido a uma síndrome de compartimento nas pernas, consequência do excesso de corrida. Concentrei então minhas energias no ciclismo. Apesar da arritmia, os médicos me liberaram para continuar treinando, porém com mais cautela.”
Fredison da Costa
Kiko Ferrite

33 anos, maratonista profissional
Como era o treino antes “Quem inventava meus treinos era eu. Não tinha um treinador profissional. Corria todos os dias de manhã e à tarde. Só descansava no domingo à tarde, às vezes nem isso. Já cheguei a correr 240 km por semana. Achava que, quanto maior o volume de treinamento, melhor. Se deixasse, eu treinava o dia inteiro, todos os dias.”
Consequências “Como eu corria muito, sentia muita fome e comia demais. Fazia um pratão de caminhoneiro, devorava um pacote de bolachas de uma vez, chegava a comer oito pães franceses em um dia. Achava que não teria problemas porque queimaria tudo aquilo nos treinos.”
Como é hoje “Agora tenho um treinador e tudo mudou. Trabalho com foco e mais qualidade. Treino uma vez por dia e faço musculação, algo que eu não fazia antes. Descobri a importância do descanso, hoje não faço nada no domingo. Minha dieta também mudou: entrou salada, arroz integral e reduziu a carne vermelha. Isso melhorou meu rendimento: acabei de voltar de Orlando (EUA), onde venci a maratona da Disney.”
João Paulo Diniz
Kiko Ferrite

47 anos, empresário
Como era o treino antes “Treino há 25 anos. Já fiz 25 maratonas, oito Ironmans e inúmeros triathlons. Por duas vezes participei da Race Across América, corrida de ciclismo que cruza os EUA. Minha base é corrida, natação e ciclismo. Antes treinava muito mais. Durante anos, corri até sete vezes por semana. Fazia duas atividades aeróbicas por dia e cinco treinos pesados semanais.”
Consequências “Como eu fazia um treino atrás do outro e não respeitava o tempo de recuperação, muitas vezes treinava cansado. E já fui baladeiro, saía muito à noite, e isso influía de forma negativa no meu rendimento esportivo.”
Como é hoje “Aprendi que hábitos e estilo de vida influenciam a performance. Percebi que respeitar o sono e o tempo de recuperação é importante. Tento dormir oito horas por dia e ir para a cama por volta da meia-noite. Também diminuí o volume de treinamento. Corro quatro vezes por semana, e dos cinco treinos pesados semanais passei para dois ou três. Musculação faço de duas a três vezes por semana – treinos curtos, de 45 min, mas fundamentais, pois reforçam a musculatura e ajudam a evitar as contusões.”
Renata Gomide
Kiko Ferrite

29 anos, gerente de marketing esportivo
Como era o treino antes “Quando me preparava para a prova de meio Ironman, fazia três treinos por dia. Acordava às 4h30 e ia pedalar na USP. Na hora do almoço fazia musculação e, à noite, nadava. Nos dias em que não pedalava, eu corria. Não sou atleta profissional e tinha que conciliar todo esse treinamento com o meu trabalho de gerente de marketing esportivo. É muita coisa, ninguém merece!”
Consequências “Percebi que o ritmo do meu treinamento não era saudável quando parei de menstruar. Fiquei quatro meses sem menstruação. Minha ginecologista disse que o excesso de treino havia afetado meus hormônios e pediu que eu maneirasse dali pra frente.”
Como é hoje “Hoje percebo que dá para treinar menos, com mais qualidade e melhores resultados. Faço treinos mais curtos, porém mais intensos e com mais intervalos entre eles. São quatro a cinco por semana: dois de musculação e de dois a três aeróbicos, por não mais que 50 min. Com essas mudanças, acertei meus horários de sono e alimentação e me sinto mais disposta.”

treino fator individual

Publicado  

Quer ganhar massa muscular de verdade ? Então está na hora de você começar a buscar o que funciona melhor no seu corpo e não no de outros.

1 – Não existe o “melhor treino” que funcione para todo mundo.

Se tal coisa existisse estaria protegida a sete chaves, caso contrário só encontraríamos pessoas gigantes pelas ruas e todas as indústrias que ganham dinheiro às custas das esperanças das pessoas iriam à falência. Nenhum dos dois está acontecendo, então use o bom-senso.

2 – Você deve desenvolver a confiança para abandonar treinos que não estão funcionando. Dê uma chance a treinos diferentes e enterre métodos de treinos que não estão trazendo resultados.

Não adianta permanecer naquele “treininho” feijão com arroz ABC com dropset no pulley triceps e esperar ganhos expressivos. Aprenda a perder o medo de mudar o treino e tentar coisas novas.

3 – O que funciona bem para os outros pode funcionar terrivelmente mal para você, da mesma maneira que algo que funcione para você, pode não funcionar para outros.

Um exemplo disso são pessoas com baixa experiência querendo seguir o treino de atletas da elite. O máximo que você conseguirá será um belo overtraining e com sorte alguma lesão.

4 – A única maneira para encontrar o melhor treino é parar de seguir a rotinas de outros e começar a descobrir qual é a melhor para você.

É necessário experiência para descobrir o que é melhor para você, não será do dia para o noite que você descobrirá qual é o melhor treino para você. Apenas errando e acertando durante anos você descobrirá qual é o “melhor” treino.

5 – Altere as variáveis (divisão de treino, os exercícios, freqüência, volume, intensidade, periodização,etc…) e veja como o seu corpo responde.

Além da mudança de treino também é necessário modificar o restante das variáveis que afetam os resultados. Usar sempre as mesmas também resultarão em estagnação.

6 – A Genética tem um grande papel no ganho de massa muscular, mas isso não é desculpa para os menos favorecidos.

Ao entrar em sua academia dê uma olhada panorâmica de 360 graus no seu local de treino. Você verá caras gigantes e caras que parecem que nunca levantaram um peso na vida, porém ambos treinam pesado. Deixando o uso de esteróides de lado, alguns caras ganham massa muscular só de olhar os pesos e outros mal crescem mesmo fazendo tudo da maneira correta.

A verdade é que existem várias diferenças genéticas entre as pessoas. Mas não desanime se você não é um mutante que cresce até mesmo fazendo aeróbico. Qualquer pessoa pode ficar mais forte, maior e mais definido com os métodos de treino corretos, mas antes você precisa descobrir o que funciona no seu corpo.



Leia mais: http://www.hipertrofia.org/blog/2010/12/22/treino-para-hipertrofia-a-verdade-nua-e-crua/#ixzz1HcWLEFqW

slow food brasil

Publicado  

http://www.slowfoodbrasil.com/component/option,com_weblinks/catid,32/Itemid,83/

Conheça os Sais Minerais

Publicado  

Conheça os Sais Minerais: Suas funções, suas fontes, suas carências e seus excessos.

Cálcio

Cálcio
Tem um papel essencial a quase todas funções do organismo, como: Coagulação do sangue, oxigenação dos tecidos, transmissão dos impulsos nervosos, regularização dos batimentos cardíacos e equilíbrio de ferro no organismo. E principalmente na formação de ossos e dentes, indispensável na dieta de recém-nascidos, crianças e gestante. Previne a osteoporose. Trabalha em equílibrio com o fósforo.

Fontes: Leite, queijo, iogurte, legumes verdes, cereais integrais, grãos, nozes (amendoin, castanha, etc), milho, soja, tofu (queijo soja), repolho chinês, couve, brócolis,

Carência: Causa deformação óssea; enfraquecimento dos dentes.

Excesso: Pode causar pedras nos Rins, hipercalcemia, síndrome álcalina do leite, e Insuficiência renal.

Nota: Mulheres Amenorréicas (exercício - ou anorexia nervosa-induzida) reduz absorção de cálcio líquida.
Não há nenhum dado consistente para apoiar que uma ingestão alta de proteína aumenta exigência de cálcio.



Cromo

Ajuda manter níveis de glicose do sangue normais.

Fontes: Alguns cereais, carnes vermelha, aves, peixe, cerveja.

Carência: causa raquitismos em crianças; osteomalácia (amolecimento dos ossos) em adultos; deformações na coluna e Osteoporose.

Excesso: Causa falência renal crônica.



Cobre

Componente de enzimas em metabolismo férreo. Age na formação da hemoglobina (pigmento vermelho do sangue) e da mielina (substância do sistema nervoso) e do colágeno, auxilia na luta contra infecções.

Fontes: fígado, rim, coração (bovino), ostra, vegetais verdes, soja, frutas secas, pêra, caranguejo, lagosta, frutos do mar, nozes, sementes, cereais de trigo, produtos de grão integrais, produtos de cacau.

Carência: dificulta a absorção de ferro pelo organismo.

Excesso: Pode causar Distúrbio Gastrointestinal, e danificar o fígado.



Flúor

Ajuda a formar e proteger os dentes, previnindo as cáries dentárias, e o desgaste dos ossos, previnindo a osteoporose.

Fontes: Água com Flúor, chás, peixe marinho, produtos dentais com Flúor, agrião, alho, aveia, brócolis, beterraba, cebola, couve-flor, maçã, trigo integral.

Carência: Ajuda a desenvolver cáries dentárias.

Excesso: Esmalte e Fluorose do esqueleto.



Iodo

É indispensável ao bom funcionamento da tiróide. Componente dos hormônios tiróides; e previne papo e cretinismo (doença relacionada a tiróide).

Fontes: No Brasil com em outros países, o iodo é acrescentado ao sal de cozinha. Suprindo a maioria das necessidades. Sal iodado, produtos marinhos, alguns vegetais.

Carência: Causa o Bócio, doença relacionada a problemas na tiróide. Com o crescimento do papo.

Excesso: Elevada concentração de hormônio estimulante Tiróide (TSH).

nota: Indivíduos com auto-imune doença da tiróide, deficiência de iodo prévia, ou papo nodular são distintamente suscetíveis ao efeito adverso de ingestão de iodo em excesso.
Então, indivíduos com estas condições podem não ser protegidos pelo limite máximo de ingestão de iodo para a população geral.



Ferro

É um componente da formação da hemoglobina e de numerosas enzimas, na oxigenação das células e no equilíbrio metabólico, no transporte de oxigênio dos pulmões para as células e na condução de gás carbônico das células para os pulmões; previne anemia de hipocromica microcítico ou anemia. Muito comum em mulheres. O ferro pode ser armazenado pelo organismo.

Fontes: fígado, rim, coração, gema de ovo, aspargo, leguminosas, cereais integrais, verduras, nozes, frutas secas, vegetais, azeitonas, carne bovina.

Carência: Causa Anemia.

Excesso: Provoca distúrbio Gastrointestinal.

Nota: Por falta de heme (pigmento vermelho do sangue) provocado por baixa absorção de Ferro, principalmente em pessoas com dietas vegetarianas. Então, foi sugerido que a exigência férrea para esses que consomem dieta vegetariana é aproximadamente o dobro a mais do que os não-vegetarianos.



Magnésio

Cofator para o sistema de enzimas. Regulas as células nervosas, ajuda na formação de anticorpos e no alívio do stress. Atua na formação dos tecidos, ossos e dentes; ajuda a metabolizar os carboidratos; controla a excitabilidade neuromuscular.

Fontes: Verduras folhas verdes escura (agrião, espinafre), grãos ásperos, nozes, carne, gomas, leite, frutas cítricas, leguminosas, gema de ovo, salsinha, cebola, tomate, mel.

Carência: provoca extrema sensibilidade ao frio e ao calor;

Excesso: Não há nenhuma evidência de efeitos adversos do consumo de magnésio naturalmente proveniente de alimentos. Os Efeitos adversos de magnésio que contém os suplementos podem incluir diarréia osmótica.
O Limite máximo para magnésio só representa a ingestão de um agente farmacológico (suplemento) e não inclui ingestão de alimento e água.



Manganês

Envolvido na formação de osso e tendões, como também em enzimas envolvidas em aminoácidos (proteínas), colesterol, e metabolismo de carboidrato.

Fontes: grãos integrais, nozes, legumes, frutas, chá, folhas de beterraba.

Carência: não determinada.

Excesso: Elevada concentração no sangue neurotoxicidade.

Nota: Por causo do manganês que é bebido da água e suplementos pode ser mais biodispónivel que manganês de alimentos, precaução deve ser levada em conta quando usando manganês. Especialmente para completar a dieta dessas pessoas que já consomem quantias grandes provenientes de plantas. Além disso, indivíduos com doença fígado podem ser distintamente suscetíveis aos efeitos adversos de entrada de manganês em excesso.


Molibdênio

Cofator para enzimas envolvidas em catabolismo de aminoácidos de enxofre, purinas e piridinas.

Fontes: Legumes, produtos de grão (arroz, trigo)e nozes.

Carência: em estudo;

Excesso: Indivíduos que são deficiente em uma dieta de ingestão de cobre ou têm alguma deficiência orgânica em metabolismo de cobre que os faz cobre-deficiente possa ter o risco aumentar de toxicidade de molibdênio.



Fósforo

Faz parte construção dos ossos e dentes, da estrutura das membranas celulares, permite a estocagem e a liberação rápida de energia, e participa de várias reações químicas em nosso corpo. O fósforo e o cálcio precisam estar equilibrados em suas quantidades, pois essa relação é que permite desempenharem suas funções. Mais a Vitamina D combate o raquitismo.

Fontes: Leite, iogurte, sorvete, queijo, ervilhas, carne, ovos, alguns cereais e pães.

Carência: Causa uma maior probabilidade de ocorrência de fraturas, músculos atrofiados; alterações nervosas; e o raquitismo.

Excesso: pode interferir com absorção de cálcio, Calcificação Metastático, porosidade de esqueleto (dos ossos).

Nota: Atletas e outros com despesa de energia alta freqüentemente consomem quantias de alimentos maior que o Limite Recomendado sem efeito aparente.



Selênio

Ajuda na defesa oxidação acentuada, auxiliando na luta contra os radicais livres; protege o coração; regula ação do hormônio da tiróide, e a redução e estado de oxidação (radicais livres) de vitamina C e outras moléculas.

Fontes: Miúdos bovinos (fígado, rim, etc), frutos do mar, cereais integrais, germe de trigo, e algumas plantas (dependendo de conteúdo de selênio da terra).

Carência: em estudo.

Excesso: Causa ao cabelo e a unha, fragilidade e perda.



Zinco

Componente de múltiplas enzimas e proteínas; participa no metabolismo das proteínas e carboidratos; atua no controle cerebral dos músculos; ajuda na respiração dos tecidos; Combate a acne, ajuda na cicatrização de feridas, estimula as defesas imunitárias.

Fontes: Carnes vermelhas, fígado, peixe, ostra, sardinha, ovo, leguminosas, nozes, aveia.

carência: Diminui a produção de hormônios masculinos, favorece o diabete e provoca alteração no paladar.

Excesso: Reduz a quantidade o Cobre no organismo.

Nota: Absorção de zinco é mais baixa para esses que consomem dietas vegetarianas, do que para essas dietas não-vegetarianas. Então, foi sugerido que a exigência de zinco para esses que consomem uma dieta vegetariana é aproximadamente o dobro a mais que para os que consomem uma dieta não-vegetariana.



Sódio

Regula os líquidos no organismo, a pressão sanguínea, influi nas contrações musculares e nos impulsos nervosos. impede o endurecimento do cálcio e do magnésio, o que pode formar cálculos biliares ou nefríticos; previne a coagulação sangüínea.

Fontes: Principalmente Sal de cozinha, peixes e carnes defumadas, embutidos (salame, frios, salsicha), vegetais (salsão, cenoura, agrião e cebolinha verde), ovos, queijo, nozes, aveia.

Carência: Pode causar cãinbras e retardamento na cicatrização das feridas.

Excesso: Causa a pressão alta, com risco de ataque cardíaco. Pode aumentar a quantidade de cálcio excretada pela urina.




Potássio

Atua associado com o sódio no equilíbrio de água, transmissão de impulsos nervosos, regulariza as batidas do coração e o sistema muscular, contribui para a formação da célula.
Fontes: frutas, leite, carnes, cereais, vegetais e legumes.

Carência: Diminuição da atividade muscular, inclusive a do coração.





Fonte: Impressão da Acadêmia Nacional de Ciências dos Estados Unidos. nap.edu


Atenção: • As matérias sobre nutrientes mencionadas aqui são de caráter informativo. Antes de qualquer Ingestão de suplementos de Vitaminas ou Minerais, deve se consultar um médico.

http://www6.ufrgs.br/favet/lacvet/restrito/pdf/bocio.pdf

Conheça os Sais Minerais

Publicado  

Conheça os Sais Minerais: Suas funções, suas fontes, suas carências e seus excessos.

Cálcio

Cálcio
Tem um papel essencial a quase todas funções do organismo, como: Coagulação do sangue, oxigenação dos tecidos, transmissão dos impulsos nervosos, regularização dos batimentos cardíacos e equilíbrio de ferro no organismo. E principalmente na formação de ossos e dentes, indispensável na dieta de recém-nascidos, crianças e gestante. Previne a osteoporose. Trabalha em equílibrio com o fósforo.

Fontes: Leite, queijo, iogurte, legumes verdes, cereais integrais, grãos, nozes (amendoin, castanha, etc), milho, soja, tofu (queijo soja), repolho chinês, couve, brócolis,

Carência: Causa deformação óssea; enfraquecimento dos dentes.

Excesso: Pode causar pedras nos Rins, hipercalcemia, síndrome álcalina do leite, e Insuficiência renal.

Nota: Mulheres Amenorréicas (exercício - ou anorexia nervosa-induzida) reduz absorção de cálcio líquida.
Não há nenhum dado consistente para apoiar que uma ingestão alta de proteína aumenta exigência de cálcio.



Cromo

Ajuda manter níveis de glicose do sangue normais.

Fontes: Alguns cereais, carnes vermelha, aves, peixe, cerveja.

Carência: causa raquitismos em crianças; osteomalácia (amolecimento dos ossos) em adultos; deformações na coluna e Osteoporose.

Excesso: Causa falência renal crônica.



Cobre

Componente de enzimas em metabolismo férreo. Age na formação da hemoglobina (pigmento vermelho do sangue) e da mielina (substância do sistema nervoso) e do colágeno, auxilia na luta contra infecções.

Fontes: fígado, rim, coração (bovino), ostra, vegetais verdes, soja, frutas secas, pêra, caranguejo, lagosta, frutos do mar, nozes, sementes, cereais de trigo, produtos de grão integrais, produtos de cacau.

Carência: dificulta a absorção de ferro pelo organismo.

Excesso: Pode causar Distúrbio Gastrointestinal, e danificar o fígado.



Flúor

Ajuda a formar e proteger os dentes, previnindo as cáries dentárias, e o desgaste dos ossos, previnindo a osteoporose.

Fontes: Água com Flúor, chás, peixe marinho, produtos dentais com Flúor, agrião, alho, aveia, brócolis, beterraba, cebola, couve-flor, maçã, trigo integral.

Carência: Ajuda a desenvolver cáries dentárias.

Excesso: Esmalte e Fluorose do esqueleto.



Iodo

É indispensável ao bom funcionamento da tiróide. Componente dos hormônios tiróides; e previne papo e cretinismo (doença relacionada a tiróide).

Fontes: No Brasil com em outros países, o iodo é acrescentado ao sal de cozinha. Suprindo a maioria das necessidades. Sal iodado, produtos marinhos, alguns vegetais.

Carência: Causa o Bócio, doença relacionada a problemas na tiróide. Com o crescimento do papo.

Excesso: Elevada concentração de hormônio estimulante Tiróide (TSH).

nota: Indivíduos com auto-imune doença da tiróide, deficiência de iodo prévia, ou papo nodular são distintamente suscetíveis ao efeito adverso de ingestão de iodo em excesso.
Então, indivíduos com estas condições podem não ser protegidos pelo limite máximo de ingestão de iodo para a população geral.



Ferro

É um componente da formação da hemoglobina e de numerosas enzimas, na oxigenação das células e no equilíbrio metabólico, no transporte de oxigênio dos pulmões para as células e na condução de gás carbônico das células para os pulmões; previne anemia de hipocromica microcítico ou anemia. Muito comum em mulheres. O ferro pode ser armazenado pelo organismo.

Fontes: fígado, rim, coração, gema de ovo, aspargo, leguminosas, cereais integrais, verduras, nozes, frutas secas, vegetais, azeitonas, carne bovina.

Carência: Causa Anemia.

Excesso: Provoca distúrbio Gastrointestinal.

Nota: Por falta de heme (pigmento vermelho do sangue) provocado por baixa absorção de Ferro, principalmente em pessoas com dietas vegetarianas. Então, foi sugerido que a exigência férrea para esses que consomem dieta vegetariana é aproximadamente o dobro a mais do que os não-vegetarianos.



Magnésio

Cofator para o sistema de enzimas. Regulas as células nervosas, ajuda na formação de anticorpos e no alívio do stress. Atua na formação dos tecidos, ossos e dentes; ajuda a metabolizar os carboidratos; controla a excitabilidade neuromuscular.

Fontes: Verduras folhas verdes escura (agrião, espinafre), grãos ásperos, nozes, carne, gomas, leite, frutas cítricas, leguminosas, gema de ovo, salsinha, cebola, tomate, mel.

Carência: provoca extrema sensibilidade ao frio e ao calor;

Excesso: Não há nenhuma evidência de efeitos adversos do consumo de magnésio naturalmente proveniente de alimentos. Os Efeitos adversos de magnésio que contém os suplementos podem incluir diarréia osmótica.
O Limite máximo para magnésio só representa a ingestão de um agente farmacológico (suplemento) e não inclui ingestão de alimento e água.



Manganês

Envolvido na formação de osso e tendões, como também em enzimas envolvidas em aminoácidos (proteínas), colesterol, e metabolismo de carboidrato.

Fontes: grãos integrais, nozes, legumes, frutas, chá, folhas de beterraba.

Carência: não determinada.

Excesso: Elevada concentração no sangue neurotoxicidade.

Nota: Por causo do manganês que é bebido da água e suplementos pode ser mais biodispónivel que manganês de alimentos, precaução deve ser levada em conta quando usando manganês. Especialmente para completar a dieta dessas pessoas que já consomem quantias grandes provenientes de plantas. Além disso, indivíduos com doença fígado podem ser distintamente suscetíveis aos efeitos adversos de entrada de manganês em excesso.


Molibdênio

Cofator para enzimas envolvidas em catabolismo de aminoácidos de enxofre, purinas e piridinas.

Fontes: Legumes, produtos de grão (arroz, trigo)e nozes.

Carência: em estudo;

Excesso: Indivíduos que são deficiente em uma dieta de ingestão de cobre ou têm alguma deficiência orgânica em metabolismo de cobre que os faz cobre-deficiente possa ter o risco aumentar de toxicidade de molibdênio.



Fósforo

Faz parte construção dos ossos e dentes, da estrutura das membranas celulares, permite a estocagem e a liberação rápida de energia, e participa de várias reações químicas em nosso corpo. O fósforo e o cálcio precisam estar equilibrados em suas quantidades, pois essa relação é que permite desempenharem suas funções. Mais a Vitamina D combate o raquitismo.

Fontes: Leite, iogurte, sorvete, queijo, ervilhas, carne, ovos, alguns cereais e pães.

Carência: Causa uma maior probabilidade de ocorrência de fraturas, músculos atrofiados; alterações nervosas; e o raquitismo.

Excesso: pode interferir com absorção de cálcio, Calcificação Metastático, porosidade de esqueleto (dos ossos).

Nota: Atletas e outros com despesa de energia alta freqüentemente consomem quantias de alimentos maior que o Limite Recomendado sem efeito aparente.



Selênio

Ajuda na defesa oxidação acentuada, auxiliando na luta contra os radicais livres; protege o coração; regula ação do hormônio da tiróide, e a redução e estado de oxidação (radicais livres) de vitamina C e outras moléculas.

Fontes: Miúdos bovinos (fígado, rim, etc), frutos do mar, cereais integrais, germe de trigo, e algumas plantas (dependendo de conteúdo de selênio da terra).

Carência: em estudo.

Excesso: Causa ao cabelo e a unha, fragilidade e perda.



Zinco

Componente de múltiplas enzimas e proteínas; participa no metabolismo das proteínas e carboidratos; atua no controle cerebral dos músculos; ajuda na respiração dos tecidos; Combate a acne, ajuda na cicatrização de feridas, estimula as defesas imunitárias.

Fontes: Carnes vermelhas, fígado, peixe, ostra, sardinha, ovo, leguminosas, nozes, aveia.

carência: Diminui a produção de hormônios masculinos, favorece o diabete e provoca alteração no paladar.

Excesso: Reduz a quantidade o Cobre no organismo.

Nota: Absorção de zinco é mais baixa para esses que consomem dietas vegetarianas, do que para essas dietas não-vegetarianas. Então, foi sugerido que a exigência de zinco para esses que consomem uma dieta vegetariana é aproximadamente o dobro a mais que para os que consomem uma dieta não-vegetariana.



Sódio

Regula os líquidos no organismo, a pressão sanguínea, influi nas contrações musculares e nos impulsos nervosos. impede o endurecimento do cálcio e do magnésio, o que pode formar cálculos biliares ou nefríticos; previne a coagulação sangüínea.

Fontes: Principalmente Sal de cozinha, peixes e carnes defumadas, embutidos (salame, frios, salsicha), vegetais (salsão, cenoura, agrião e cebolinha verde), ovos, queijo, nozes, aveia.

Carência: Pode causar cãinbras e retardamento na cicatrização das feridas.

Excesso: Causa a pressão alta, com risco de ataque cardíaco. Pode aumentar a quantidade de cálcio excretada pela urina.




Potássio

Atua associado com o sódio no equilíbrio de água, transmissão de impulsos nervosos, regulariza as batidas do coração e o sistema muscular, contribui para a formação da célula.
Fontes: frutas, leite, carnes, cereais, vegetais e legumes.

Carência: Diminuição da atividade muscular, inclusive a do coração.





Fonte: Impressão da Acadêmia Nacional de Ciências dos Estados Unidos. nap.edu


Atenção: • As matérias sobre nutrientes mencionadas aqui são de caráter informativo. Antes de qualquer Ingestão de suplementos de Vitaminas ou Minerais, deve se consultar um médico.

http://www6.ufrgs.br/favet/lacvet/restrito/pdf/bocio.pdf

DESCANSO

Publicado  terça-feira, 22 de março de 2011

Tener un buen descanso por la noche es uno de los factores que contribuyen a lograr una vida saludable, y dado que los problemas de sueño se incrementan cada día, te damos algunos trucos que pueden ayudar para alcanzar un buen descanso nocturno y con éste, una mejor salud general.

Dado que la alimentación, el estado emocional y las actividades que realizamos en el día pueden repercutir en la conciliación del sueño, los siguientes trucos para alcanzar un buen descanso nocturno contemplan:

No consumir cafeína desde unas 6 horas antes de acostarse: dado que la cafeína es un estimulante del sistema nervioso central, su consumo puede dificultar la conciliación del sueño como así también, puede interrumpir el descanso. Por eso, sustituye el café por otra infusión relajante y utiliza productos sin cafeína o descafeinados horas antes de acostarte.
No hacer ejercicio aeróbico desde 2 horas antes de acostarse: el ejercicio aeróbico eleva la frecuencia cardíaca y genera una fuerte estimulación en nosotros, por lo que en algunas personas puede significar dificultad para dormir si se ejercitan justo antes de ir a la cama. Puedes dejar para última hora del día actividades no aeróbicas que por el contrario relajan, como el stretching o el yoga.
Tome un vaso de leche antes de acostarse: los lácteos poseen triptófano, un aminoácido que favorece la liberación de serotonina, hormona que nos relaja y contribuye a dormir mejor, por eso, beber un vaso de leche antes de acostarnos puede permitirnos dormir con mayor facilidad.
Apague su móvil y el ordenador una hora antes de acostarse: esto permitirá que al momento de dormir la cabeza no esté todavía en el trabajo, sino que pueda alejarse (aunque sea parcialmente) de su agenda agitada y los problemas inmersos en ella. Además, eliminamos una potencial interrupción al momento de conciliar el sueño.
Tome una ducha caliente: no sólo puede ser un factor relajante, sino que la temperatura del baño repercutirá después en la temperatura corporal, reduciéndola, lo cual provoca sueño.
Realizar una tarea relajante justo antes de dormir: leer un libro, escuchar música, meditar o realizar ejercicios de relajación muscular puede ser una buena manera de propiciar el descanso posterior.
Propicie la oscuridad para dormir: al momento de acostarse procure tener la mayor oscuridad posible en su habitación, pues la oscuridad induce la liberación de melatonina, hormona que favorece el sueño.
Si no puede dormir no se quede en la cama: si en el plazo de 30 minutos posterior a acostarse no puede conciliar el sueño, no se quede en su cama, sino levántese y tome un vaso de leche o realice nuevamente alguna actividad relajante y cuando sienta sueño, acuéstese nuevamente.

Muchas actividades, comidas, bebidas u otros factores, impiden que podamos dormir adecuadamente, por eso, estos trucos pueden causar el efecto contrario y ser de ayuda para lograr un buen descanso nocturno que repercutirá favorablemente en la salud, al permitirnos estar más concentrados, más animados y menos estresados durante el día.

receita traduzida

Publicado  domingo, 20 de março de 2011

Salada de frango com nozes e passas Orgânica
Frango é uma grande fonte de baixo teor de gordura, proteína, enquanto passas fornecer potássio
e ferro. As nozes são um complemento perfeito para esta salada para o seu Omega-3
ácidos gordos e fitoesteróis. Mais uma descoberta recente mostra que, mesmo
conter pequenas quantidades de melatonina biodisponível.

4 sem ossos, peitos de frango sem pele, pré-cozido
1 colher de chá de caril em pó
1 / 2 limão, juiced
1 / 4 xícara de salsão picado
1 / 4 xícara Raw Swanson Orgânica nozes picadas
1 / 4 xícara de passas Swanson Thompson Seedless Orgânica
1 / 4 de xícara de maionese (mais dependendo do gosto)
Pique o peito de frango resfriado em pedaços pequenos e coloque-o em um grande
tigela. Adicione o restante dos ingredientes e misture. Tempere a mistura com sal
e pimenta a gosto. Sirva sobre uma cama de alface romana e folhas de espinafre ou de propagação
em um croissant fatiado. Sirva com morangos frescos ao lado.

Faz 4-6 porções.

Publicado  domingo, 13 de março de 2011

http://www.restaurante4patas.blogspot.com/

fitoterapicos

Publicado  sábado, 12 de março de 2011

TE VERDE
El te verde contiene cafeína, y es rico en flavonoides, compuestos activos que actúan en sinergia con la cafeína en la combustión de las grasas. Aumenta además la termogénesis. Tomar en infusión después de las comidas.

GARCINIA GAMBONIA
Contiene ácido hidroxicitrico o A.H.C en la piel de su fruto este ácido actúa regulando el peso corporal y el apetito interviniendo en el metabolismo de los azucares y las grasas disminuyendo la transformación de azucares en grasa.

CHITOSAN
Es un producto derivado de la chitina un polímero natural extraído de las cutícula de crustáceos marinos.
Al ser un elemento incapaz de absorberse y de digerirse al llegar al estomago y encontrarse en medio ácido, ataca los lípidos aquí presentes y los secuestra en su estructura siendo eliminados durante la excreción. La grasa captada por CHITOSAN se convierte en no absorbible por ello su valor calórico es nulo. Su poder de absorción es tal que capta 4 o 5 veces su peso en grasa.

GLUCAMANO
Su uso en una dieta se basa en su utilidad como corta hambre natural. Esta fibra soluble es capaz de absorber hasta 100 veces su volumen en agua llenando el estomago y produciendo una inmediata sensación de saciedad.

HINOJO
Las infusiones de esta planta son útiles contra las agujetas.

TRÍBULUS
Esta planta fue utilizada por los atletas búlgaros y resulta muy útil a la hora de mejorar los niveles de testosterona. Actúa directamente sobre la hipófisis para que esta produzca gonatropinas que son un tipo especial de hormonas proteicas que usa nuestro organismo para estimular al testículo para que produzca mas hormona sexual.
DOSIS: Entre 500 a 2000 Mg. al día durante 4-6 semanas.

ALCACHOFA
Las hojas de la alcachofa son útiles para curar enfermedades de tipo hepático, además reduce los niveles de colesterol su uso es ideal como protector durante un ciclo.

COLA DE CABALLO
Es una planta muy rica en minerales potasio y sobre todo en sílice. Es un remineralizante muy útil en casos de fatiga, fracturas pero sobre todo como diurético ya que estimula las funciones del riñón. Ayuda además la presencia de sílice y algunos minerales a estimular el tejido conjuntivo, facilitando la reconstrucción del cartílago en el curso de enfermedades articulares.

Publicado