Tweet TONTON - FITNESS ADVISER: Junho 2011

Publicado  quinta-feira, 23 de junho de 2011



sushi é bom para praticantes de atividade fisica?

Publicado  

Sushi e Sashimi na nutrição do esporte

Actualmente o sushi é considerado uma comida japonesa, embora a sua origem não seja totalmente conhecida, foi no Japão que o sushi foi cultuado e onde é mais consumido.

O sushi é o casamento do arroz com o peixe cru. Este surgiu de forma a conservar o peixe e o arroz no tempo em que ainda não existia refrigeração, eram embalados em caixas de madeira, pois o ácido láctico produzido pelo arroz durante a fermentação ajudava a preservar o peixe.

O sushi é actualmente popular, não só pela sua apresentação e sabor mas também por ser considerada uma comida muito saudável. Uma das características da cozinha japonesa consiste na preparação dos ingredientes de modo a conservar a sua frescura, realçar o seu aroma e sabor. A dieta japonesa é muito saudável pois contem todos os nutrientes necessários numa refeição e possui alguns alimentos com propriedades muito benéficas ao organismo.

A comida japonesa é essencialmente composta por
Peixe - que é uma excelente fonte de proteína e a melhor de ómega 3, um tipo de gordura benéfica para o coração, que reduz o colesterol e a pressão arterial.
Algas - possuem vitamina C (importante para potencializar o sistema imunológico).
Gengibre (Shoga) - Utilizado para tempero age como antibiótico, anti-inflamatório e é antioxidante (combate o envelhecimento das células). É um óptimo digestivo
Soja - Reduz os níveis de colesterol LDL (mau) no sangue, evitando a acumulação de placas de gordura nas artérias.
Cogumelos - possuem ácido glutâmico que auxilia o sistema imunológico.
Chá verde - Ajuda no bom funcionamento digestivo, por causa da presença de substâncias chamadas catequinas. Possui também, uma acção bactericida e antioxidante e impede a proliferação de células cancerígenas.
Hortaliças - possuem bastantes fibras que fazem bem ao organismo, melhorando o funcionamento intestinal e controlando os níveis de glicose e colesterol no sangue.
Moyashi (rebentos de soja) - é um alimento rico em fibras e vitamina C. É consumido cru ou cozido, com carnes e legumes. Aumenta a produção de células de defesa do organismo.
Tofu (queijo de soja) - É fonte de proteína, minerais e vitaminas. Ameniza os sintomas da menopausa, protege contra o cancro e previne a osteoporose, é uma importante fonte de cálcio.
Arroz - Possui ferro, fibras, tiamina e niacina. Contém ainda a maioria dos aminoácidos essenciais e é também um hidrato de carbono (fonte principal de energia).
Missoshiro (Sopa de soja) - É composto por pasta de soja, algas, vegetais, tofu e peixe desidratado. É considerado um antioxidante, e garante o bom funcionamento do intestino e do cérebro. A soja é rica em isoflavonas (auxiliam na redução dos níveis de colesterol). Previne também doenças de coração e alguns tipos de cancro.

No entanto, mesmo fornecendo diversos nutrientes, o homem não pode viver só de sushi e sashimi, porque esta dieta japonesa é deficiente em ferro, pois não possui carne vermelha, a principal fonte de ferro). A falta de ferro é a causa mais comum da verdadeira anemia. Por isso é importante a variação e o equilíbrio na dieta com todos os alimentos essenciais para suprir as necessidades de cada um de nós.

Outro aspecto negativo é o shoyu (molho de soja) que ingerido em excesso auxilia na retenção de líquidos, devido á elevada quantidade de sódio que possui.

Apesar de todos estes factores negativos o sushi é uma comida leve e natural, de rápida digestão do organismo, é pobre em gorduras e calorias, e é a prefeita combinação entre proteínas (peixe cru), hidratos de carbono (arroz) e fibras (algas). No entanto deve-se ter cuidado com as frituras como o tempura e sushis que são fritos ou que contêm cream cheese ou maionese, porque neste caso temos mais a união do lipído que pode ser prejudicial.
Em geral é uma alimentação muito saudável e variada que utiliza 5 sabores básicos nos seus pratos: ácido, amargo, doce, quente e salgado. Existem vários tipos de preparação do sushi de acordo com calorias e recheio.

O Sushi pode ser definido como um bolinho de arroz coberto por peixes ou frutos do mar crus. Há, no entanto, vários tipos de sushis, que mudam de nome conforme a forma de preparo ou os ingredientes utilizados:
Niguiri: Pequenos bocados de arroz recobertos com fatias de peixes ou frutos do mar crus, sendo os mais comuns os de atum, camarão, enguia, lula, polvo, salmão e omelete;
Gunkan: Arroz enrolado por algas marinhas e recheado com peixe cru, frutos do mar, ovas de peixes ou legumes;
Uramaki: É um sushi às avessas. Neste tipo, o arroz recobre as algas, que, por sua vez, são recheadas com vários tipos de peixes, legumes e até frutas. No Brasil, a manga é utilizada na confecção deste tipo de sushi;
Temaki: Cones de algas recheados com arroz, peixe cru ou frutos do mar e legumes;
Chirashi: peixes, frutos do mar e legumes espalhados por sobre o arroz de sushi.

O Sashimi são fatias de peixe cru degustadas com shoyu (molho de soja) e wasabi (raiz forte). Os japoneses comem alguns diferentes tipos de peixes crus. É óbvio que o peixe tem de estar o mais fresco possível:
Maguro: Atum;
Toro: Atum gordo (parte nobre);
Ika: Lula;
Ebi: Camarão;
Saba:cavalinha (espécie de peixe);
Shake:salmão.

A Tempura são frutos do mar e vegetais panados e fritos em óleo fervente. Foi introduzido no Japão pelos portugueses. Hoje em dia, tornou-se um dos pratos mais populares do Japão, e também, bem conhecido no mundo todo.

As Algas (kaiso) são uma importante parte da dieta japonesa, por ser muito rica em minerais. Várias espécies de algas são comidas de diferentes maneiras.
Nori: É a mais comum. São lâminas secas e finas de algas usadas nos “rolinhos” e em outros tipos de sushi.
Wakame: É utilizada nas sopas como a de misô ou em alguns tipos de saladas.
Kombu: É utilizada como ingrediente básico de sopas;

O Wasabi é um dos principais temperos da culinária japonesa. Feito de uma raiz forte, costuma ser utilizado em forma de uma pasta como condimento em sashimis e sushis. De qualquer forma, wasabi é também muito usado em outros pratos japoneses.
O Saquê é feito de arroz e água. Há vários tipos regionais de saquê. Sua graduação alcoólica varia entre 10 e 15% e pode ser servido quente ou gelado. Costumam ser servidos em pequenos potes ou em um recipiente chamado masu.
O Shari é o arroz preparado para confecção de Sushi.

castanha do pará

Publicado  

A castanha do Pará tem ação tonificante, fortalecedora e nutritiva para o corpo. É indicada principalmente contra desnutrição e anemia. São também muito eficazes para ativar o cérebro e para aliviar constipações intestinais.

A castanha é rica em selênio, vitamina E, ácido fólico, cálcio, fósforo, magnésio e ácido graxo ômega 3.

O selênio — principal componente da castanha — é um mineral importantíssimo para uma vida longa e saudável. Ele é essencial para acionar enzimas que combatem os radicais livres. O selênio ajuda a formar enzimas antioxidantes, além de fortalecer as defesas do organismo.

O mineral também está intimamente associado à capacidade de o organismo se livrar de substâncias tóxicas, ajudando-o inclusive a expulsar possíveis metais pesados que estejam alojados nas células.

noz

Publicado  

É rica em vitaminas A, C, E e potássio. A noz é capaz de beneficiar suas veias e artérias. Taxas elevadas dessa substância no sangue ajudam a diminuir o colesterol alto. As nozes também apresentam um grande conjunto de antioxidantes, como ômega-3 e os polifenóis.

As nozes são uma boa opção uma vez que possuem maior concentração da vitamina E alfa-tocoferol — a forma da vitamina E que o corpo melhor absorve e utiliza.

Os antioxidantes existentes nas nozes possuem papel significativo contra os agressores das macromoléculas como DNA, proteínas, lipídeos e lipoproteínas. Incluir uma noz na dieta ajuda na prevenção de doenças crônicas degenerativas e desta forma proporcionar uma vida longa e de qualidade.

AMENDOA

Publicado  

Contém ácido fólico, niacina, potássio, vitamina E, magnésio, fósforo, gorduras monoinsaturadas e proteínas. Para quem quer usufruir dos benefícios das oleaginosas e ainda perder peso, a amêndoa é mesmo a melhor opção. Tonifica o sistema nervoso, diminui o colesterol e melhora as afecções cardíacas.

A gordura monoinsaturada contida na amêndoa tem efeito benéfico na circulação e no colesterol, e também contribui na redução dos radicais livres por seu potente efeito antioxidante.

As amêndoas são excelentes restaurativas, tonificantes, nutritivas e ótimos tônicos para os nervos. A ingestão diária ajuda a proteger os rins e os órgãos reprodutores, fortalece os ossos, e ainda restabelece a força física e mental.

Publicado  

Lee Swanson Research Update

Omega-3 May Reduce Depression Symptoms in the Elderly
June 2011
Daily omega-3 supplements may reduce the occurrence of the symptoms of depression in elderly women, says a new study from Italy that adds to the ongoing debate over omega-3 and mood.

According to findings published in The Journal of Nutrition, Health & Aging, depressed women who received daily supplements containing 2.5 grams of omega-3 experienced significant reductions in their symptoms.

In addition, researchers from the University of Pavia also report that omega-3 supplements providing a daily EPA (eicosapentaenoic acid) dose of 1.67 grams and a daily DHA (docosahexaenoic acid) dose of 0.83 grams reported improvements in the "quality of life."

"This (quality of life) observation has never been achieved before and it appears of great value from the clinical point of view, due to the importance of these aspects in the elderly population," wrote the researchers.

"The concept of quality of life is defined as a perceived global satisfaction and satisfaction within a number of key domains, with special emphasis on well-being. Therefore, the amelioration of quality of life in depressed elderly patients after supplementation with omega-3 long-chain polyunsaturated fatty acids is an important finding," they added.

In the current study, the Italian scientists recruited 46 depressed senior women at a nursing home in Pavia, Italy, for their randomized, double-blind, placebo-controlled trial. The women were randomly assigned to receive the omega-3 supplements or a placebo for two months.

Results showed a significant reduction in the average depression scores, as measured using the Geriatric Depression Scale, and this corresponded to increased levels of omega-3 fatty acids in the membranes of red blood cells. In addition, physical and mental scores were improved when the women were asked to evaluate their own quality of life.

"Moreover, the intervention with omega-3 long-chain polyunsaturated fatty acids appears to be safe," added the researchers. "No relevant side-effects were observed in the intervention group, not even adverse gastrointestinal effects, as reported in previous studies."

The link between omega-3 and mood is complex and some of the data to date is contradictory. For example, researchers from Norway reported that regular and long-term intake of omega-3 fatty acid-rich cod liver oil may protect people from symptoms of depression (Journal of Affective Disorders).

Moreover, a joint Anglo-Iranian study published in the Australian and New Zealand Journal of Psychiatry reported that depression ratings were cut by 50% following daily one gram supplements of EPA.

Despite the growing number of studies, however, the British Medical Journal’s Drug and Therapeutics Bulletin (DTB) reports that the science isn’t strong enough yet to qualify a link between omega-3s and depression.

Harry Rice, PhD, Vice President of Regulatory and Scientific Affairs for the Global Organization for EPA and DHA Omega-3s (GOED), welcomed the findings in the current study and said that they were not only statistically significant, but "clinically significant in that long-chain omega-3 intake improved quality of life while decreasing the severity of depression in elderly females not taking any antidepressant medication."

"While the results are exciting with potential clinical utility," Dr. Rice said, "it’s a stretch to conclude that the results support the theory that depression is a manifestation of a decrease in the omega-3 ratio caused by excessive omega-6 intake. For now, what can be concluded is that long-chain omega-3 supplementation reduced depressive symptoms, while improving quality of life, in elderly women. The public health implications of such findings are widespread."

The Journal of Nutrition, Health & Aging 15(1):37-44, 2011

https://www.facebook.com/video/video.php?v=1800000476147&oid=133850396669&comments

Publicado  quarta-feira, 22 de junho de 2011



15 full chin ups

Publicado  

http://www.youtube.com/watch?v=Rl19yY_wOxo

Publicado  quinta-feira, 16 de junho de 2011

Getting Rid of the Belly Fat (part 1)

We got a bit of a different thing going on for our newsletter this week. We will be sending out a 4 part series on how to lose the fat around your mid section. This will be a bit of a long guide on how to lose tummy fat and on how to burn off body fat. It will be a four part guide that will provide you with the correct information on how and what you can do to burn off body fat. We will be sending this special 4 part series over the next week - one issue every second day. The four parts are:

Information you need to know about losing belly fat and information that you may not want to know about losing belly fat (current issue)
Diet and nutrition key points that you must know to be able to lose tummy fat
Exercise and muscle building knowledge that will help you burn off body fat faster
Cardio training methods that will increase your metabolism and help you burn fat faster and lose more tummy fat
For men and women alike, losing fat and getting rid of the love handles is one of the most difficult things to accomplish. When it comes to losing belly fat, you feel lost and get fed up that no matter what you do, you just can't seem to loose belly fat. Do you find yourself often trying new "diets" that you hope will help you lose your stomach fat, and in the end only to find that the "diet" did not work as hoped, and you didn't seem to make any progress at all? There are literally hundreds of different diets out there, but most of them do not work. Some of them are too restrictive on what you can eat, others completely reduce or even eliminate carbohydrates from your diet, and other diets that force you to eat foods that you simply do not enjoy. These types of diets never work in the long run to help you lose tummy fat because you eventually give up on them.

I bet you've see dieters who has been through yo-yo weight loss many times - each time gaining back what they lost, and even some extra weight. Perhaps you might have had this unfortunate experience yourself. The weight loss myth (and false idea) that you can spot reduce and some how specifically target your tummy fat is perpetuated by the weight loss industry - in fact, there is a huge industry targeted at helping people losing their love handles.

You see it all the time - infomercial segments selling all types of ab gadgets and diet pills that claims to help you burn off your belly fat. Ab belts and the old fat jiggling machines comes to mind. Yet, there are many people who will take the perceived easy way out of a long term problem, and unfortunately, it never works.

With all these ab gadgets that claim to target your belly fat and help melt away the belly fat, have you ever wondered why they always include a "free" exercise and diet program? That's because the people selling these ab miracle products know that the only true way to lose fat is with a good diet and exercise program that works to help burn off fat overall. Save your hard earned money, instead of throwing it away at ineffective weight loss products.

To truly lose your stomach fat there are several things you must first understand and have a better appreciation for:

You cannot spot reduce - there is no way for your to some how specifically target your stomach area and get rid of belly fat. There is no tummy fat exercise, and no diet pill that will allow you to spot reduce.
The only way to lose your stomach fat is to reduce your body fat overall. There is no other way around it, and there is no magical solution to some how specifically target your belly fat.
No amount of abdominal exercises will help you get rid of your stomach fat. The common misconception is that doing ab exercises that works out the stomach region will eventually lead to toned abs. While doing ab exercises will work your ab muscles and oblique muscles, you still won't be able to see them with a layer of fat covering them up.
To burn fat overall, you need a combination of sensible diet and nutrition that creates a calorie deficit along with a exercise and cardio training program. There is no instant, quick solution to losing belly fat. It takes time and patience.
You have to be dedicated and determined in your resolve to lose fat. It's a constant battle for many people just to stay on track with their program - so, additional effort and motivation is needed to ensure long term success.
Be consistent and take measurements to keep track of your fat loss progress, and to help you stay motivated. By taking measurements, I don't just mean taking recordings from the weight scale, but also keep track of the changes in your body fat percentage and body composition, and recording body measurements using a measure tape.
These are some of the key points you should be aware of when it comes to losing your stomach fat. Some of it may sound a bit discouraging, but if you still insist on spending money on miracle ab gadgets that claim to help you melt away belly fat, you should stop reading now. But if you believe what we listed about makes sense and will help you get on the right track to burning away body fat, and eventually lose the love handles, then keep reading, and learn about the real methods of fat loss.

How to Reduce Belly Fat

To burn fat and reduce belly fat, you need a good diet - a diet that will naturally increase your metabolism that is not too restrictive, and at the same time creates a slight calorie deficit that allows for weight loss. To reduce belly fat and body fat, you need to increase your metabolism. The tough part about it is that as you diet, and reduce your weight, your metabolism tends to naturally adjust downwards to match your reduced body weight, and reduced calorie intake, making it more difficult to burn off additional fat. There are several things you can do to help maintain a higher metabolism for sustained fat loss:

Increase your lean muscle mass - the more lean muscle you carry, the more calories you burn. You will have a faster metabolism, and will have an easier time getting rid of your body fat.
Split up your daily calorie intake over 5 to 6 small meals. If your planned daily calorie intake is around 2400 calories, then you should aim to get around 400 calories over 6 smaller meals. Eating frequent meals throughout the day increases your natural metabolism.
Eat foods that burn fat, and avoid foods that make you fat. Try to eat more foods such as vegetable, fruits, whole grains, and lean proteins, and avoid foods high in saturated fats.
Short, but intense cardio workouts burn less calories for the workout session, but will increase your metabolism for hours after you are finished, resulting in more calories burned.
The best way to burn fat is not just with cardio exercises and dieting - you need a good combination of strength workouts, intense cardio sessions, and a good diet with a slight caloric deficit to induce fat loss. Only by losing body fat overall, will you be able to remove tummy fat. In the upcoming issue this week, we will cover dieting, exercising, and cardio training.

Musculação

Publicado  quinta-feira, 2 de junho de 2011

A musculação é um tipo de exercício resistido, com variáveis de carga, amplitude, tempo de contração e velocidade controláveis. Desse modo pode ser aplicada da forma isometria (contração mantida), isocinética (com velocidade angular constante) ou isotônica (alternância de contrações concêntricas e excêntricas), contínua ou intervalada, suave ou intensa, com recursos aeróbios ou anaeróbios.

Esta possibilidade de controle de tantas variáveis torna a musculação uma atividade física altamente versátil que pode ser usada para diferentes objetivos.

Publicado  

A Federação Internacional de Fisiculturismo (International Federation of Bodybuilding, IFBB) regula o campeonato de culturismo mundial, o Mr. Olympia. Os maiores vencedores desse campeonato foram Lee Haney (oito vezes), Arnold Schwarzenegger (sete vezes), Dorian Yates (seis vezes) e Ronnie Coleman (oito vezes).

Apenas dois brasileiros competiram no Mr Olympia, um deles é o Luís Freitas, que competiu no Mr. Olympia de 1988 (19º lugar), e o mais recente foi o Eduardo Correa que competiu em 2009 e 2010 na categoria até 92 quilos ficando em um dúvidoso terceiro lugar, sendo considerado por boa parte da mídia especializada o verdadeiro campeão. O brasileiro Eduardo Correa já possue três títulos profissionais em seu currículo e se firmou favorito na mídia internacional.

Fisiculturismo

Publicado  

Fisiculturismo ou culturismo é um esporte cujo objetivo é buscar, por meio da musculação, a melhor formação muscular. Sua disputa ocorre em apresentações coletivas ou individuais, de comparação. Os requisitos são: volume, simetria, proporção e definição muscular.

http://www.exrx.net/

Publicado  

ExRx.net (Exercise Prescription on the Net) is a free resource for the exercise professional, coach, or fitness enthusiast featuring comprehensive exercise libraries (>1300 exercises), fitness assessment calculators, and reference articles. The content of this web site is also available on CD-ROM.

ExRx.net is a recommended resource in ACSM's Resource Manual for Guidelines for Exercise Testing and Prescription, 5th ed. (pgs 224, 349). ExRx.net is also a NSCA authorized CEU provider. See our NSCA CEU approved study modules.

FILME Estômago: quando há a mistura da manipulação de alimentos e de pessoas

Publicado  

Estômago: quando há a mistura da manipulação de alimentos e de pessoas


capa_dvd.jpgPensando no cinema enquanto campo etnográfico, inserido em um contexto histórico e cultural, alguns dos elementos presentes no filme "Estômago", de Marcos Jorge (2008), são importantes para tecer reflexões sobre valores culturais, conflitos, relações de poder, enfim, interações sociais que podem ir muito além da ficção (ROCHA, 2009). A narrativa traz uma relação estreita entre culinária e jogos de poder, expondo uma trama de relações. Para o personagem Raimundo Nonato, a comida é caminho de ascensão social.

Buscando mostrar, através do cinema, contextos que trazem à tona um cotidiano usualmente invisibilizado, neste filme são apresentadas situações conectadas com uma realidade que se distancia dos contos de fadas maniqueístas, de finais felizes.

nonato_e_iria.jpgA película inicia quando Raimundo Nonato, imigrante paraibano, chega à cidade de São Paulo. É um "começar do zero": sem dinheiro, sem ter onde morar e sem conhecer ninguém, Nonato (sub)emprega-se no bar de Seu Zulmiro, onde suas coxinhas revelariam seu talento... que lhe renderia um novo emprego.

A narrativa apresenta, paralelamente, dois momentos na vida de Nonato, que no final do filme se conectam: o primeiro, o período em que ele chega à cidade e se consolida como cozinheiro, o outro, em que está na cadeia. À medida que a narrativa evolui, também se revelam as facetas de sua personalidade, ingênuo e sensível, frio e manipulador. Seja na cozinha do boteco, em que ascende de faxineiro a cozinheiro, seja dentro na cela da cadeia, em que (apelidado de Alecrim) consegue transformar em apetitosa a comida intragável que os presos recebem, Nonato acumula, além de receitas, prestígio social.

nonato.jpgA "mão boa" que faz das coxinhas de boteco verdadeiras iguarias chama a atenção de Giovanni, chef e dono de um restaurante italiano, que convida Nonato para trabalhar em seu restaurante. Ali ele conhecerá temperos, queijos, vinhos, aprendendo a escolher alimentos e a dar um toque especial à elaboração da comida, potencializando seu talento. Sua nova posição lhe possibilita ter uma casa, roupas melhores e um amor. Íria ganha sua vida na noite e apresenta como traço marcante um apetite singular: Nonato chamara sua atenção ainda quando servia coxinhas como quitutes de boteco. É assim que, entre os dois, o envolvimento, emocional e físico, é mediado pela comida. Estabelece-se, então, uma intensa relação entre culinária e corporalidade... que conduzirá Nonato a cometer o crime que o levará à prisão.

nonato_na_prisao.jpgNa cela da cadeia, o posto de cozinheiro alça Nonato a uma posição privilegiada: graças a sua habilidade em transformar em iguarias o péssimo cardápio da penitenciária, passa a ser protegido do preso em posição de comando, Bujiú.

Mais uma vez dando mostras de sua capacidade de assimilação das regras do jogo e das relações de poder que permeiam o espaço em que se encontra, Nonato consegue chegar ao posto de chefe da cela, quando, em um banquete que prepara, organizado para homenagear um bandido de grande renome, coloca veneno no feijão de Bujiú.

nonato_e_iria_1.jpgO filme "Estômago" é uma mistura de ingredientes: sedução, traição, gula, prazer, morbidez... sendo que o resultado da alquimia desses ingredientes é uma arte aos sentidos. A forma como os alimentos são preparados, desde a imunda cozinha do boteco, passando pelo requinte da cozinha italiana e chegando ao ambiente da prisão, é um desafio ao estômago. A curiosidade é aguçada na forma como Nonato vence, graças à sua "mão boa", as situações mais difíceis que a vida lhe impõe: essa é a senha para sua adaptação.

Referência

ROCHA, Gilmar. Gastronomia sensual : análise simbólica de A festa de Babette e Dona Flor e seus dois maridos. Civitas. Porto Alegre. v. 9, n. 2, p. 263-280.

* Patrícia dos Santos Pinheiro ( patriciasantspinheiro@gmail.com) é formada em Tecnologia em Meio Ambiente, mestre em Desenvolvimento Rural e doutoranda do Programa de Pós-graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA/UFFRJ).

* Simone Bochi Dorneles ( sbochi@svs.iffarroupilha.edu.br) é administradora, mestre em Administração pela UFSC, doutoranda em Desenvolvimento Rural pela UFRGS, professora do Instituto Federal Farroupilha Campus São Vicente do Sul.

Ecogastronomia

Publicado  

Ecogastronomia


O movimento Slow Food representa a união entre a ética e o prazer da alimentação com uma palavra: ecogastronomia. Restitui ao alimento sua dignidade cultural, favorece a sensibilidade do gosto e luta pela preservação e uso sustentável da biodiversidade. Protege espécies vegetais e raças animais, contribuindo com a defesa do meio ambiente, da cozinha típica regional, dos produtos saborosos e do prazer da alimentação.

O Slow Food preconiza o reconhecimento da importância do prazer aliado à alimentação. Devemos aprender a apreciar a larga gama de receitas e sabores e reconhecer a variedade de lugares e pessoas cultivando e produzindo alimentos. Devemos respeitar os ritmos das estações e da convivialidade.

Além disso, a receita desenvolvida por Carlo Petrini e os membros do Slow Food propõe um novo senso de responsabilidade na busca do prazer. Demanda que todos têm o direito de aproveitá-lo. O Slow Food chama este conceito de Ecogastronomia. É uma atitude capaz de combinar o respeito e interesse na cultura enogastronômica com apoio para aqueles que lutam para defender os alimentos e a biodiversidade agrícola no mundo todo.

Ainda dentro do princípio da ecogastronomia, o Slow Food apóia um novo modelo de agricultura, que é menos intensivo e mais saudável e sustentável, com base no conhecimento das comunidades locais. Este é o único tipo de agricultura capaz de oferecer formas de desenvolvimento para as regiões mais pobres do nosso planeta.

Por esta razão o Slow Food está comprometido a salvaguardar alimentos, matéria-prima e métodos tradicionais de cultivo e transformação dos alimentos. Luta para defender a biodiversidade de variedades sejam elas cultivadas ou selvagens, e proteger os locais de convívio que formam a herança cultural devido ao seu valor histórico, artístico e social.

Considerando uma variedade de fruta ou um prato tradicional local, não é possível ignorar sua relação com a história, cultura e ambiente de onde se originou. Portanto, o Slow Food estressa a importância da produção agrícola para manter o equilíbrio de respeito e troca com o ecossistema. É por isso que o Slow Food foi definido como um movimento de eco-gastrônomos.

Publicado  

Terra Madre Brasil 2010

A segunda edição do Terra Madre Brasil foi realizada de 19 a 22 de março de 2010, no Complexo Cultural da FUNARTE em Brasília. O encontro foi realizado pelo SLOW FOOD, em parceria com: SDT, FIDA e MINC e com a colaboração de Educação em foco, Instituto Morro da Cotia e REGIONE VENETO

Participaram do encontro 550 convidados representantes da rede do Terra Madre no Brasil. Durante os quatro dias do evento aconteceram atividades práticas e de discussão como oficinas da terra (workshops), seminários, debates e conferências, oficinas do gosto, feira e exposição de produtos da agricultura familiar e do “artesanato culinário”.

Veja mais informações:

Sobre a Rede Terra Madre e a história do evento no Brasil e no mundo
Programação
Cerimônia de encerramento e trechos da palestra de Carlo Petrini
Propostas práticas apresentadas durante o encontro

Siga as novidades sobre o Terra Madre via twitter: https://twitter.com/terramadre_br

GODFATHER OF HIT

Publicado  



MIKE MENTZER