Tweet TONTON - FITNESS ADVISER: Agosto 2011

Sushi de Bacalhau

Publicado  terça-feira, 30 de agosto de 2011




SUSHI DE BACALHAU

Sushi de salmão e bacalhau


Experimente uma receita diferente com o bacalhau. Sem batata, nem cebola, desta vez o peixe é o recheio do sushi.

Ingredientes
• 100 g de arroz temperado para sushi
• 2 tiras finas de filé de salmão
• 50 g de bacalhau temperado


Modo de Preparo

1- Faça um bolinho como arroz.
2- Envolva com a tira de salmão.


3- Coloque o bacalhau temperado. Dica: decore com cebolinha picada.
4- Tempere com um fio de azeite e sirva com shoyu e wasabi.


Anote:
Dica: O recheio deve ser preparado antes para que possa esfriar. Primeiro dessalgue o peixe, desfie e refogue com cebola, alho, azeite e salsinha.

Receita de bacalhau made in japan

Publicado  



Ingredientes

200g de bacalhau
2 colheres de saquê mirim
1 xícara (chá) de água
8 pés de shitake bem lavados
Sal a gosto
½ cenoura em motivo chinês
1 talo de aipo em juliana
2 cogumelos shitake em triângulos
½ talo de alho-poró em rodelas finas
50g de moyashi (broto de feijão)
1 colher (sopa) de pimentão vermelho em juliana
1 colher (sopa) de azeite
1 colher de molho shoyu sem sal
1 dente de alho picado
1 pitada de creme de arro
Ajinomoto a gosto
1 colher (chá) de óleo de gergilim
1 colher (chá) de gengibre cortado em fatias finas e cozidas em água
10 folhas de manjericão roxo
1 colher (chá) de semente de papoula
½ tomate em leque
4 talos de cebolinhas verde
Modo de preparo

Cozinhe o bacalhau no court buillon durante 4 a 5 minutos com o saquê, a água e os pés de shitake.
Enquanto isso, doure o alho picado no azeite e refogue os legumes rapidamente na seguinte ordem: Cenoura, aipo, pimentão, alho-poró, moyashi e shitake (deixar os legumes crocantes).
Dilua o creme de arroz com um pouco de saquê e dê uma liga nos legumes para que fiquem brilhosos.
Tempere com ajinomoto.
Coloque os legumes em um prato de cerâmica.
Escorra o peixe e coloque ao lado dos legumes.
Na mesma panela dos legumes, esquente o óleo de gergilim para refogar o gengibre e as folhas de manjericão roxo.
Coloque este preparo em cima do bacalhau e salpique com semente de papoula.
Decore o prato com um leque de tomate e 4 talos de cebolinha.

http://www.tortadenoz.com/main.cfm

Publicado  domingo, 28 de agosto de 2011

http://www.tortadenoz.com/main.cfm

Musculação na diabetes

Publicado  

Musculação na diabetes


Hoje foi publicado na HealthDay TV um vídeo que encoraja a prática de musculação nos diabéticos. Os efeitos benéficos do exercício de resistência muscular estão bem documentados e vão além da simples perda de gordura corporal. O American College of Sports Medicine recomenda a todos os adultos que pratiquem musculação 2-3 vezes por semana. Apesar do cepticismo de muita gente em relação aos exercícios de força, eles podem de facto melhorar a sua qualidade de vida.


O vídeo está disponível aqui. Passo a traduzir a narração:

Se quer melhorar os sintomas da diabetes, flectir os músculos pode ser uma forma simples de o fazer.
Os peritos recomendam que as pessoas percam peso para se protegeram da diabetes. Mas investigações recentes encontram um benefício do incremento de massa muscular, e não apenas da perda de gordura.
Os investigadores incluíram mais de 13000 adultos no estudo. Mediram a massa muscular dos participantes e fizeram testes para determinar a forma como o seu organismo usava o fornecimento natural de insulina para baixar os níveis de açúcar no sangue. As pessoas com mais massa muscular tinham maior sensibilidade à insulina, ou seja, podiam processar a glicose mais eficientemente. Como resultado, tinham um menor risco de desenvolver diabetes.
De acordo com um dos cientistas, as pessoas não se devem focar apenas em medidas como o índice de massa corporal e perímetro da cintura porque o músculo é também importante. O American College of Sports Medicine recomendou recentemente que a maioria dos adultos deve praticar musculação 2 a 3 vezes por semana, em adição a treino aeróbico moderado 5 vezes por semana ou vigoroso 3 vezes por semana.

Como faço questão de sublinhar sempre que oportuno, não sou grande adepto de estudos de associação. Demasiada confusão entre variáveis para o meu gosto. Mas que a quantidade de massa muscular está directamente relacionada com a sensibilidade à insulina é algo conhecido há muito. A adiposidade por seu lado está associada de forma inversa.

Mas felizmente que a fisiologia nos pode ajudar a esclarecer mecanismos e causalidade. Eu já abordei esta questão no blogue e este vídeo da HealthDay TV serve para reavivar essa mensagem, provavelmente uma das mais úteis que escrevi até hoje. Se não a leu, faça-o agora caso seja do seu interesse. Fica o sound bite: “Pela sua saúde, faça musculação”.

WHEY PROTEIN

Publicado  

Comprovados e reforçados os benefícios da proteína whey


A actividade física requere músculos fortes e saudáveis (duh!). Felizmente, quando exercitamos com regularidade, os nossos músculos experimentam ciclos contínuos de catabolismo (durante o treino) e remodelação e crescimento compensatórios. Há muito que os atletas usam métodos para aumentar estas respostas fisiológicas e potenciar o desenvolvimento muscular. Uma ajuda ergogénica com grande popularidade é o uso de suplementos proteicos de alta qualidade durante e após o treino, com a whey a assumir um papel central.


Vários estudos documentaram já um efeito benéfico no seu consumo. De particular interesse é o papel do aminoácido leucina contido nestes produtos. Dois artigos publicados na edição de Setembro do The American Journal of Clinical Nutrition relatam os resultados de estudos independentes conduzidos de forma a compreender melhor como os aminoácidos influenciam a sintese proteica em atletas recreativos.

De acordo com Shelley McGuire PhD, “estes estudos, e outros similares, ajudam-nos a compreender e aplicar algo que todos sabemos inerentemente: o corpo humano humano funciona de uma forma complexa, mas lógica. Faz todo o sentido que consumir um alimento com proteína de alta qualidade durante ou após o exercício possa ajudar os músculos a fortalecer. A força muscular não acontece por si própria - os músculos precisam de ser encorajados a crescer (pelo treino) e nutridos. Temos agora ainda mais provas científicas para este conceito de senso-comum”.

No primeiro estudo, liderado pelo Dr. Stuart Phillips da McMaster University, investigou-se se a síntese proteica pós-treino é diferente quando uma dose elevada e singular de whey, 25g, é consumida imediatamente após a actividade em comparação com doses mais pequenas (2.5g) e múltiplas, consumidas 10 vezes durante um período de tempo estendido. A ideia com os múltiplos “protein shots” foi mimetizar a forma como outra proteína, a caseína, é digerida e adsorvida. Os participantes executaram 8 sets de 8-10 repetições num aparelho de leg-extensions; cada indivíduo participou em ambas a intervenções.

No segundo estudo, encabeçado por Stefan Pasiakos do US Army Research Institute of Environmental Medicine, 8 militares consumiram uma bebida hiperproteica (10g como aminoácidos essenciais) que continha 1.87g ou 3.5g de leucina enquanto exercitavam numa bicicleta estacionária.

Em ambos os estudos foi avaliada a síntese proteica pós-exercício. Consumir uma grande e única dose de whey (25g) imediatamente após o treino aumentou mais a sintese proteica do que quando foram administradas doses pequenas e periódicas. No segundo ensaio, a actividade sintética foi 33% superior após o consumo de 3.5g de leucina do que com 1.87g do aminoácido.

Os investigadores concluíram que o metabolismo muscular pós-exercício pode ser manipulado através da dieta. Em termos do melhor timing para ingestão de proteína, o consumo imediato no pós-treino parece ser o mais adequado. Além disso, a leucina pode desempenhar um papel especialmente importante no estímulo ao crescimento muscular no período de recuperação.


D. W. West, N. A. Burd, V. G. Coffey, S. K. Baker, L. M. Burke, J. A. Hawley, D. R. Moore, T. Stellingwerff, S. M. Phillips. "Rapid aminoacidemia enhances myofibrillar protein synthesis and anabolic intramuscular signaling responses after resistance exercise". American Journal of Clinical Nutrition, 2011; DOI: 10.3945/ajcn.111.013722


S. M. Pasiakos, H. L. McClung, J. P. McClung, L. M. Margolis, N. E. Andersen, G. J. Cloutier, M. A. Pikosky, J. C. Rood, R. A. Fielding, A. J. Young. "Leucine-enriched essential amino acid supplementation during moderate steady state exercise enhances postexercise muscle protein synthesis". American Journal of Clinical Nutrition, 2011; DOI: 10.3945/ajcn.111.017061


American Society for Nutrition (2011, August 18). "Muscle-building effect of protein beverages for athletes investigated". ScienceDaily.

SUFLE BACALHAU

Publicado  domingo, 21 de agosto de 2011


Ingredientes
Para até 4 pessoas

500 g de bacalhau desfiado
2 cebolas
500 g de espinafres congelados (ou frescos)
2 batatas médias
4 ovos enriquecidos com vitamina E e omega 3
Pimenta preta
Tabasco
Poejos

Preparação
Tempo de preparação: 30 minutos

Coza o bacalhau e as batatas com 0,5dl de água e reserve a água de cozedura.

Pique os espinafres e passe as batatas com uma varinha mágica até obter uma mistura homogénea.

Refogue a cebola e o alho com o azeite. De seguida junte os espinafres e refogue durante 2 minutos. Cozinhe, mexendo, e junte pequenas porções da água reservada, de modo a obter um creme fluído.

Deixe amornar e adicione o bacalhau e adicione as gemas batidas e as batatas.

Incorpore delicadamente as claras batidas em castelo. De seguida misture o creme de espinafres e rectifique o tempero com pimenta preta, molho tobaco, sal e poejos.

Deite o preparado numa forma de bolo inglês barrada com azeite e polvilhada com pão ralado. Leve ao forno pré-aquecido, por 35 minutos. Sirva com salada

CANELONE VEGANO

Publicado  


VERSÃO CANELONE PARA VEGANOS

Ingredientes

Para o canelone:
100 g de castanhas-do-pará
2 abobrinhas

Para o molho:
Sobras da abobrinha fatiada
Alho-poró
Azeite de oliva extra virgem
Suco de 1/2 limão
Sal com baixo sódio
Manjericão (de preferencia fresco)

Para a finalização:
Orégano (para polvilhar)
Tomate seco ou folha verde (para decorar)

Preparo

Canelone:
Bata um punhado de castanha-do-pará no liquidificador. Depois de trituradas, misture água e bata novamente. Coe num saco de voal ou em uma peneira e reserve a ricota que sobrar. Fatie uma abobrinha bem fina, pegue cada fatia, recheie com a ricota de castanha e enrole.

Molho:
Coloque no liquidificador as sobras da abobrinha, o alho-poró picado, 2 dedos de azeite, o suco de limão, água, sal, manjericão, bata tudo e jogue por cima dos canelones. Polvilhe orégano, enfeite com tomate seco ou uma folha verde e sirva em seguida.

CANELONE VEGANO

Publicado  

VERSÃO CANELONE PARA VEGANOS

Ingredientes

Para o canelone:
100 g de castanhas-do-pará
2 abobrinhas

Para o molho:
Sobras da abobrinha fatiada
Alho-poró
Azeite de oliva extra virgem
Suco de 1/2 limão
Sal com baixo sódio
Manjericão (de preferencia fresco)

Para a finalização:
Orégano (para polvilhar)
Tomate seco ou folha verde (para decorar)

Preparo

Canelone:
Bata um punhado de castanha-do-pará no liquidificador. Depois de trituradas, misture água e bata novamente. Coe num saco de voal ou em uma peneira e reserve a ricota que sobrar. Fatie uma abobrinha bem fina, pegue cada fatia, recheie com a ricota de castanha e enrole.

Molho:
Coloque no liquidificador as sobras da abobrinha, o alho-poró picado, 2 dedos de azeite, o suco de limão, água, sal, manjericão, bata tudo e jogue por cima dos canelones. Polvilhe orégano, enfeite com tomate seco ou uma folha verde e sirva em seguida.

http://www.youtube.com/watch?v=TUBsXiBq_Ao

Publicado  

http://www.youtube.com/watch?v=TUBsXiBq_Ao

CANELONA DE RICOTA

Publicado  


CANELONE DE RICOTA
INGREDIENTES PARA ATÉ 6 PESSOAS:
500g DE MASSA INTEGRAL ESPECIAL OU NÃO PARA CANELONE
(VARIAÇÃO MASSA SEM GLUTEN)
(VARIAÇÃO2 MASSA CASEIRA SEM LACTOSE)

Ingredientes do recheio:

350g de queijo ricota light fresco
2 iogurtes naturais magros(desnatados)
½ chávena de chá com salsa e cebolinho fresco, picados
1 dente de alho picado
Sal light a gosto e pimenta do reino (facultativo)

Ingredientes para o molho:

2 colheres de sopa de azeite de oliva extra virgem
2 dentes de alho picados
1 cebola grande picada
1 kg de tomate sem pele, batido no liquidificador
1 chávena de chá de manjericão picado
½ chávena de chá com salsa e cebolinho fresco, picados
Sal light a gosto

Preparação:

1º Tempere o queijo ricota com sal e pimenta e junte o iogurte, o alho, a salsa e o cebolinho. Misture tudo muito bem para homogeneizar.

2º Recheie os canelones com o creme anterior e disponha-os num tabuleiro refractário.

3º Entretanto prepare o molho: numa panela aqueça o azeite, e refogue rapidamente o alho e a cebola até amolecerem. Acrescente o tomate batido e deixe ao lume durante cerca de 20 minutos. Adicione o sal, o manjericão, a salsa e o cebolinho. Mexa bem.

4º Despeje o molho sobre os canelones, cubra com papel de alumínio e leve ao forno previamente aquecido (150ºC), por aproximadamente 40 minutos. Sirva de imediato.

Publicado  

http://www.arnoldsportsfestival.com/home/spain.html

Batatinhas

Publicado  sábado, 20 de agosto de 2011


Um acompanhamento muito fácil de fazer e muito simples que conjuga os tão tradicionais e bons sabores portugueses como a cebola, o tomate, o alho e a batata.

Estas batatinhas pequeninas comprei-as no velhote em Sintra e são deliciosas, pelo que as tenho usado para inúmeras receitas.

Receita para 3 pessoas
Grau de diiculdade: Fácil
Tempo confecção: 35 minutos

Ingredientes

200 g batatinhas pequenas
1/2 cebola
1 dente de alho
1 folha de louro
azeite qb
1 tomate médio
1 pitada de sal
coentros frescos





Confecção

- Comece por cozer as batatas, com a casca, em água com sal cerca de 15 minutos. Depois de cozidas deixe a arrefecer. Descasque-as depois cuidadosamente.

- Numa frigideira larga deite um fio de azeite, a cebola cortada finamente em meias -luas, o alho laminado, o tomate sem pele ,cortado aos cubos e deixe refogar, em lume brando, uns cinco minutos.

- Junte então as batatas e deixe cozinhar mais uns 7 minutos em lume brando, com a frigideira tapada, mexendo de vez em qando para tomatem sabor de forma uniforme.

- Desligue o lume e salpique então as batatas com os coentros cortados na altura. (Aproveite também os talos pois são bastante aromáticos) e sirva acabadas de confeccionar.

Underactive Thyroid Diet Plan

Publicado  segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Hypothyroidism or underactive thyroid affects a significant number of people, and is more common in females than males and in older people. It occurs when your thyroid gland doesn't make enough of the thyroid hormones thyroxine (T4) or triiodothyronin (T3), which slows down your body's metabolism, leading to symptoms such as tiredness and putting on weight.

Hyperthyroidism is an overactive thyroid – see here.

T3 and T4 control how quickly the body burns energy and how quickly reactions in the body happen. Metabolic rate affects lots of things, such as body weight, and how much you sleep. The hormones speed up the body's metabolism, causing processes in the body to happen faster. The production of the thyroid hormones is controlled by another hormone called thyroid stimulating hormone (TSH), secreted from the pituitary gland in the head.

Hypothyroidism usually develops gradually with mild symptoms at first, until there is a gradual slowing down of functions. Main symptoms are:

Lethargy and wanting to sleep a lot
Feeling the cold easily
Dry and/or pale skin
Coarse, thinning hair and brittle nails
Sore muscles, slow movements and weakness
Hoarse or croaky voice
Change in facial expression
Depression
Problems with memory and concentration
Weight gain
Constipation
Fertility problems and increased risk of miscarriage
Heavy, irregular or prolonged menstrual periods
Slow heart rate
Swelling of the thyroid gland in the neck - goitre
Hypothyroidism can be caused due to an insufficient intake of the trace element mineral iodine. This is one of the main causes of it in the World but rare in the Western World as iodine is abundant in our diet. Sources of iodine.

Autoimmune thyroiditis is the most common cause of hypothyroidism in the UK. This is an autoimmune disease caused by antibodies from the immune system attacking thyroid gland cells. Hashimoto's thyroiditis is the most common type of autoimmune hypothyroidism, where the thyroid gland swells up apparent as a goitre.

Hypothyroidism can be treated by drugs like T3, T4 or a thyroxine replacement, levothyroxine, in tablet form. However it can take many months to get the correct dose, so improvement in symptoms can be slow. In most cases treatment improves all symptoms. Once the correct dose of thyroxine replacement has been established, thyroid function should be monitored annually.

Dietary treatment is aimed around controlling weight and making the individual feel less tired. Most cases of hypothyroidism involve unwanted weight gain, but unfortunately weight can be really difficult to lose until the thyroxine replacement therapy is at the right dose. For this reason initial goals are to maintain weight and prevent further increase in body fat. Then when the doctors are happy with the drug dose, weight loss should be possible through a good diet and exercise regimen.

The following example meal plan has been designed for someone with hypothyroidism who wishes to control their weight sensibly. Obviously the amount of weight the person wishes to or has to lose will vary and depend on how overweight they are. The following is a good general guide, nutritionally balanced for weight loss to suit a sedentary adult.

Exercise will be a huge help in helping to speed up the rate of weight loss, although until drug treatment is under control, this may be hard due to lethargy. Light cardiovascular exercise (e.g. running, cycling, stepper, cross-trainer, treadmill, etc) for around 40 minutes at least three times per week. If possible do this unfuelled first thing in the morning, but if this isn't practical, later on in the day will also benefit both fitness and weight loss.


Read more at: http://www.mealplansite.com/medical-thyroid-underactive.aspx

types of food

Publicado  

Slow-digesting foods are foods that contain grains and seeds like barley, wheat, oats, millet, semolina, beans, lentils, wholemeal flour, unpolished rice, etc. (called complex carbohydrates).
Fast-burning foods are foods that contain sugar, white flour, etc. (called refined carbohydrates).
Fibre-containing foods are bran-containing foods, whole wheat, grains and seeds, vegetables like green beans, peas, sem (papry), marrow, mealies, spinach, and other herbs like methie, the leaves of beetroot (iron-rich), fruit with skin, dried fruit especially dried apricots, figs and prunes, almonds, etc.

FIVE NUTRITION MISTAKES TO AVOID

Publicado  

April 18, 2011 12:18
FIVE NUTRITION MISTAKES TO AVOID
By Jayson A. Wyner, Nutritionist to the Pros

MISTAKE #1: Eat clean 24-7.
I used to think that to build muscle or lose fat you should stick to your diet 365 days a year –

and so this is what I did leading up to my first photo shoot. Unfortunately, every couple weeks I

experienced a full-out uncontrollable binge and noticed very little change in my body.

Now, after years of training and experimenting with diet, I have learned that it’s imperative to

schedule cheat meals in order to experience noticeable changes in my body. So now I schedule my

cheat meal for every Saturday when I have Sushi. If I am still craving food off my regular diet I

will allow myself another cheat consisting of two hamburgers on either Tuesday or Wednesday. If I

do decide to have a second cheat meal, I prepare the burgers myself to ensure I am not going too

far off track. About once a month I will have a dessert such as green tea ice cream. The rest of my

diet throughout the week is extremely clean – but by allowing myself these scheduled cheats I

notice obvious progressions in my body, and it keeps staying on track a lot easier.

MISTAKE #2: Eliminating carbs
Although it is true that overdoing carbs can add unwanted fat to your physique, very few people

understand how and when to eat them in order to truly reap all the benefits. I believe in always

including complex carbs (such as a yam, sweet potato or brown rice) in my pre and post workout

meals. Complex carbohydrates have a high nutritional value, are rich in fiber, but do not spike

your insulin levels. For a safe rule of thumb I usually have 2-4 carb meals all before 5pm. After

5pm I cut out all my carbs. This allows me to sustain my energy levels throughout the day and still

make gains while staying super lean.

MISTAKE #3: Skipping a meal
In order to lose fat it is important to eat fewer calories than your body is burning. However, by

skipping a meal – just because you’re eating less food, it does not mean you’re losing more weight.

In fact, you are putting your body into starvation mode and lowering your metabolism. During this

time, while your body is in this catabolic state, you force your body to use muscle for energy

ultimately limiting your progression. Additionally, most people will over eat at the next meal, to

try to satiate their hunger. The overeating is what causes the extra fat, so not only are you

burning muscle while you are missing a meal but by the time you eat you are now overeating which is

a sure way to get off track. You should really shoot for 5-8 small meals spread over the course of

the day to maintain energy levels and prevent any temptations to binge.

MISTAKE #4: Fat is the enemy.
Fat has an unnecessary bad reputation that, as a diet food, it is bad for weight loss and health.

This may prove true when it comes to saturated fats, but you absolutely need a good amount of

healthy fats in your diet. By good fats I mean non-saturated fats such as almond butter, natural

peanut butter, and avocado. These fats will actually increase your metabolic rate and increase fat

burning resulting in weight loss. Fats are great to use at night time when combined with protein or

post cardio to keep the fat burning processing going until your next meal (provided you do not take

in carbohydrates).

MISTAKE #5: Use someone else’s diet because it worked for them.
Years ago, when dieting down for a Hawaiian vacation, I followed a diet that was sent by one of my

friends in the IFBB. Although he clearly knew what he was talking about and how the food portions

and timing worked effectively for his own body – this was not the case for me. I made the mistake

of trying to follow his exact diet without any guidance or alterations and it backfired

drastically.

Over time I have learned in order to be your best you must have the best team around you supporting

you. If you are a serious athlete, I highly suggest hiring a professional diet coach to design a

diet specifically tailored to your body’s needs, and to monitor your progression and make tweaks

where needed.

Through my own personal trial and error, and through working with some of the top names in the

industry, I’ve discovered what it takes to help someone transform their body from good to great.

Every athlete is different – which is why I’ve created the Wyner Nutrition Systems (WNS). I take

each individual requirement into consideration and create a professional custom nutrition and

supplement program that corresponds to your body’s needs.

If you would like to have a custom WNS plan designed for permanent, fat loss, off season muscle

mass or strength and endurance from my 13 years of experience working with the pros and self

experimentation… I encourage you to visit my website at www.bodybywns.com

http://twitter.com/tonton84

Publicado  sábado, 13 de agosto de 2011

http://twitter.com/tonton84

Publicado  

http://tonton-fitnessadviser.blogspot.com/

Publicado  quinta-feira, 11 de agosto de 2011

http://www.youtube.com/watch?v=Xu-brjqiplk

Suplementos ajudam cancro do colo-rectal

Publicado  terça-feira, 9 de agosto de 2011

Suplementos ajudam cancro do colo-rectal

Um estudo com 191 mil participantes encontrou uma relação entre consumo de cálcio e vitamina D e um menor risco de desenvolver cancro colo-rectal. Os indivíduos observados tinham entre 45 e 75 anos e foram acompanhados durante 7 anos, durante os quais surgiram 2110 novos de cancro colo-rectal.

Os investigadores conseguiram detectar um efeito protector no cálcio: um consumo mais elevado (alimentos ou suplementos) permitiu baixar de 30 (homens) a 36 por cento (mulheres) o risco de desenvolver este tipo de tumor. Os que não tomavam suplementos mas mantinham uma ingestão adequada de lacticínios apresentaram-se 23 (homens) ou 34 por cento (mulheres) mais imunes. No caso da vitamina D, a mesma associação foi encontrada para os homens mas não para as mulheres.

(American Journal of Epidemology, 28/03/2007)

Ácido Úrico

Publicado  

Um consumo elevado de bebidas açucaradas pode levar ao incremento da produção de ácido úrico no organismo. A conclusão resulta da análise de mais de 4000 homens e mulheres que participaram no inquérito nacional sobre alimentação nos Estados Unidos, nos anos 2001-2002. Os investigadores detectaram também que a relação entre consumo de bebidas açucaradas e níveis de ácido úrico é maior nos homens do que nas mulheres.

A hiperuricemia (níveis elevados de ácido úrico provocado pelo consumo de frutose) é um factor de risco para a tensão arterial elevada e doença cardiovascular, bem como do síndrome metabólico.

(Hypertension, Agosto 2007)

A alimentação do adolescente desportista

Publicado  

A alimentação do adolescente desportista

A adolescência e a prática regular de exercício requerem alguns ajustes ao nível da alimentação. Os jovens necessitam de um regime alimentar adequado, de forma a que o corpo se encontre preparado para as novas exigências.
Comece-se por enaltecer todos os jovens que optam pela prática de uma qualquer modalidade desportiva e também os seus pais ao permitirem, facilitarem ou, até mesmo, incentivarem essa prática. A prática desportiva regular é benéfica para os jovens a vários níveis:

físico: desenvolve e melhora a condição física geral, ajuda a reduzir a tensão arterial, equilibra o processo de apetite/saciedade;

psíquico: contribui para um estilo de vida mais saudável, diminui a pressão do dia a dia, cria desafios, estimula o alcançar de objetivos;

social: fortalece o espírito de grupo, promove o cumprimento de regras, facilita o convívio, permite uma boa ocupação dos tempos livres.

Ser adolescente e praticar regularmente - pelo menos 3 a 4 vezes por semana - uma determinada modalidade requer reajustes ao nível alimentar. A adolescência caracteriza-se pelo grande desenvolvimento físico - ósseo e muscular - do organismo num, relativamente, curto espaço de tempo e, por outro lado, a prática desportiva caracteriza-se também por, a nível físico:

- desenvolver e fortalecer a massa muscular, incluindo o coração;

- elevar o metabolismo basal - consumo energético necessário para o funcionamento do organismo, quando está em repouso;

- consumir as gorduras acumuladas.

Assim, é importante proceder a algumas alterações quanto ao regime alimentar normal dos adolescentes, de modo a responder às necessidades específicas dos jovens desportistas.

1. Refeições

Primeiro almoço - deve ser completo e rico em hidratos de carbono de absorção lenta - farináceos - e média - frutas.

Refeição anterior à prática desportiva - deve ser feita duas horas antes, ser rica em hidratos de carbono de absorção lenta e média, ser rica em líquidos - água e sumos de fruta natural -, ser mais pobre em gorduras e ser de fácil digestão.

Refeição a seguir à prática desportiva - deve ser feita até uma hora após o fim da atividade física e deve ser semelhante à refeição indicada no ponto anterior.

2. Nutrimentos

Ligeiro aumento dos alimentos em geral, de modo a proporcionar o aumento necessário de proteínas, lípidos e hidratos de carbono. Estes não necessitam nunca de ser de absorção rápida, ou seja, de produtos ricos em açúcar.

Não há qualquer necessidade de suplementos e o consumo de líquidos deve ser feito antes, durante e depois da atividade física.

A par do incentivo que deve ser feito para a prática regular de uma qualquer modalidade desportiva, deve-se ensinar e proporcionar aos jovens um regime alimentar adequado - o que comer, como e quando -, de forma a que o corpo esteja preparado para essa nova exigência e dela possa retirar todos os benefícios.



Como referenciar este artigo:
A alimentação do adolescente desportista . In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2011. [Consult. 2011-08-09].
Disponível na www: .

Coffee Consumption Enhances HDL-Mediated Cholesterol Efflux in Macrophages

Publicado  

Coffee Consumption Enhances HDL-Mediated Cholesterol Efflux in Macrophages


Coffee Consumption Enhances High-Density Lipoprotein-Mediated Cholesterol Efflux in Macrophages

Harumi Uto-Kondo, Makoto Ayaori, Masatsune Ogura, Kazuhiro Nakaya, Mai Ito, Atsushi Suzuki, Shun-ichi Takiguchi, Emi Yakushiji, Yoshio Terao, Hideki Ozasa, Tetsuya Hisada, Makoto Sasaki, Fumitaka Ohsuzu, Katsunori Ikewaki
From the Department of Internal Medicine (H.U.-K., M.A., M.O., K.N., S.-I.T., E.Y., T.H., M.S., F.O., K.I.), National Defense Medical College, Saitama; Tochigi Laboratories (M.I., A.S.), Kao Corporation, Tochigi; and Division of Cardiology (Y.T., H.O.), Jikei University School of Medicine, Tokyo, Japan.

Correspondence to Dr Katsunori Ikewaki, Department of Internal Medicine, National Defense Medical College, 3-2 Namiki, Tokorozawa, Saitama 359-8513, Japan. E-mail katsunorike@ndmc.ac.jp

Abstract

Rationale: Association of habitual coffee consumption with coronary heart disease morbidity and mortality has not been established. We hypothesized that coffee may enhance reverse cholesterol transport (RCT) as the antiatherogenic properties of high-density lipoprotein (HDL).

Objective: This study was to investigate whether the phenolic acids of coffee and coffee regulates RCT from macrophages in vitro, ex vivo and in vivo.

Methods and Results: Caffeic acid and ferulic acid, the major phenolic acids of coffee, enhanced cholesterol efflux from THP-1 macrophages mediated by HDL, but not apoA-I. Furthermore, these phenolic acids increased both the mRNA and protein levels of ATP-binding cassette transporter (ABC)G1 and scavenger receptor class B type I (SR-BI), but not ABCA1. Eight healthy volunteers were recruited for the ex vivo study, and blood samples were taken before and 30 minutes after consumption of coffee or water in a crossover study. The mRNA as well as protein levels of ABCG1, SR-BI, and cholesterol efflux by HDL were increased in the macrophages differentiated under autologous sera obtained after coffee consumption compared to baseline sera. Finally, effects of coffee and phenolic acid on in vivo RCT were assessed by intraperitoneally injecting [3H]cholesterol-labeled acetyl low-density lipoprotein-loaded RAW264.7 cells into mice, then monitoring appearance of 3H tracer in plasma, liver, and feces. Supporting in vitro and ex vivo data, ferulic acid was found to significantly increase the levels of 3H tracer in feces.

Conclusions: Coffee intake might have an antiatherogenic property by increasing ABCG1 and SR-BI expression and enhancing HDL-mediated cholesterol efflux from the macrophages via its plasma phenolic acids.

(Circulation Research. 2010;106:779.)
© 2010 American Heart Association, Inc.

http://circres.ahajournals.org/cgi/c...106/4/779?etoc

Fish oil is antiestrogenic in human studies

Publicado  

Fish oil is antiestrogenic in human studies
Test tube study: fish oil is anti-estrogenic

Extremely high doses of the fish fatty acid DHA may help protect the body from the impact of the female sex hormone estradiol. This is suggested by research done at the National Taiwan University, in which molecular scientists exposed human breast cancer cells to the fatty acid in test tubes. The experiment showed that DHA encourages cells to break down estradiol receptors.
The Taiwanese performed experiments because they were looking for an extra way to fight estradiol-sensitive cancers. Long-term treatment with the anti-estrogen Nolvadex makes some cells resistant. While the medicine does kick the estradiol-alpha receptors out of the cell’s nucleus, they manage to keep going outside. Because DHA – full name docosahexaenoic acid – inhibits cancer in many experiments, the researchers hoped that the fish fatty acid might possibly also play role. It might sound a little strange, but you never know your luck.

The longer the exposure, the more estradiol-alpha receptors were destroyed in the cell nucleus. The omega-6 fatty acid arachidonic acid enhanced the reduction of the number of estradiol receptors.
When the researchers repeated their experiment with the proteasome inhibitor (MG132) they detected no effect. See below.
The proteasome is a molecular shredder that cuts up wrong bits of proteins into small pieces. If you give the cells enough DHA, it appears they also clear up estradiol-alpha receptors.
Bodybuilders who experiment with high doses of fish fatty acids report that they become drier. This could have something to do with the effect the Taiwanese came across.
Fish fatty acids are interesting to bodybuilders for other reasons too. A diet that is rich in fish fatty acids raises the concentration of IGF-1 in the body, enhances fat burning and inhibits the growth of fat reserves. These effects have been shown in animal studies, test tube studies, experiments and human trials. Animal studies also suggest that fish-oil in the diet helps muscles to recover more quickly after training.


Source:
J Nutr Biochem. 2009 Apr 13. [Epub ahead of print].

Publicado  segunda-feira, 8 de agosto de 2011


Publicado  


Cinco sentidos na cozinha: Polvo assado no forno com batatinhas

Publicado  terça-feira, 2 de agosto de 2011

Cinco sentidos na cozinha: Polvo assado no forno com batatinhas

Cinco sentidos na cozinha: Legumes salteados

Publicado  

Cinco sentidos na cozinha: Legumes salteados

Cinco sentidos na cozinha: Pato assado com laranja

Publicado  

Cinco sentidos na cozinha: Pato assado com laranja

FUTUROS CHEFS

Publicado  segunda-feira, 1 de agosto de 2011

para quem gostaria se tornar Chef, Buenos Aires é um ótimo lugar para fazer cursos de culinária e formações especificas da gastronomia. E a vantagem é que Argentina é muito mais em conta que vários outros lugares do mundo.

Cursos para Septiembre de 2011
Estimado/a, Queremos acercarte los nuevos cursos que se dictarán en el mes de Septiembre. Si alguno es de tu agrado será un gusto para nosotros recibirte en nuestro instituto.

Cocina y Catering Técnicas básicas de cocina • Inicio el jueves 01/9 de 19 a 22 hs.

Destinado a todas las personas que quieren dar sus primeros pasos en la cocina, tomando como base fundamental las técnicas aplicadas en recetas clásicas. Trabajo con aves, pescados, carnes rojas y cerdo. Tipos y métodos de cocción. Más información ›
Cocina y Catering COCINA MEDITERRÁNEA • Inicio el viernes 30/9 de 19 a 22 hs. Variadas preparaciones de esta cocina, platos con pescados, mariscos, cordero, variedad de vegetales y hierbas. El uso del aceite de oliva, arroces y pastas. Más información ›
Cocina y Catering COCINA DEL MUNDO • Inicio el lunes 12/9 de 19 a 22 hs. Un viaje culinario a través de los diferentes continentes. Recetas clásicas, influencia del clima, relieve y religión. Más información ›
Cocina y Catering CHARCUTERIE, TERRINAS Y PATÉS PARA RESTAURANTES • Inicio el viernes 23/9 de 19 a 22 hs. Orientado a profesionales que quieran ampliar los conocimientos en el trabajo de embutidos, chacinados, terrinas, patés, embutidos y derivados, y su utilización en el restaurante. No está orientado a la industria. Más información ›

Pastelería y Panadería Chocolatería • Inicio el viernes 09/9 de 19 a 22 hs.

En este curso se desarrollan las técnicas para el templado, el correcto manejo del chocolate y la elaboración de distintas especialidades de la chocolatería clásica. Desde los "rochers" y los "mendiants" al chocolate en rama y las barritas. Desde las trufas a los bombones de molde y bañados, pasando por los huevos de pascuasa, turrones, bombones de fruta y toffes. Más información ›
Administración gastronómica ADMINISTRACIÓN DE RESTAURANTES • Inicio el jueves 29/9 de 19 a 22 hs. Adquirir los criterios de administración gastronómica para lograr una operación rentable. Conocer las particularidades de los costos del rubro gastronómico como base indispensable para su control y optimización. Analizar los puntos críticos de control y fuga económica en este rubro para maximizar la utilidad de su negocio. Conocer los sistemas informáticos que dispone un operador gastronómico para su administración. Más información ›
Administración gastronómica organización de eventos • Inicio el miércoles 28/9 de 19 a 22 hs. Adquirir los conocimientos necesarios para la planificación y conducción de eventos gastronómicos a fin de determinar la propuesta comercial e implementar la operativa adecuada para asegurar el éxito. Aprender a determinar el posicionamiento de alimentos y bebidas de cada evento para lograr la satisfacción del cliente sin generar pérdidas. Conocer las particularidades del personal de este tipo de servicios a fin de manejar la brigada y conducir las operaciones acertadamente. Analizar el equipamiento necesario para desempeñarse en este rubro y los costos de compra o alquiler. Más información ›
Administración gastronómica recursos humanos en gastronomía • Inicio el jueves 9/6 de 19 a 22 hs. Adquirir el conocimiento de técnicas y herramientas que permitan seleccionar, conducir y capacitar al personal de cocina y salón de cualquier establecimiento gastronómico. Conocer las distintas etapas de un proceso de búsqueda y selección de personal gastronómico para elegir las personas más adecuadas a las necesidades operativas y objetivos comerciales del establecimiento. Aplicar técnicas de comunicación, creatividad, motivación y liderazgo que posibiliten disminuir el ausentismo, controlar la rotación y crear un clima de trabajo entusiasta y productivo. Aprender a transmitir los conocimientos de forma amena y participativa, de tal forma que sean comprendidos y aplicados en la totalidad del personal al momento de abordar la tarea. Más información ›



Gracias por elegirnos. Atte.

http://us1.campaign-archive2.com/?u=9f05370c8263ed14f8bbd2580&id=8fc7cbe912&e=912a7bae95